A equipe LSM deseja um Feliz Ano Novo!


Olá leitores, tudo bom?


É, mais um ano se termina e quanta coisa aconteceu, não é mesmo? Tantas reviravoltas, tantas idas e vindas, tantos sorrisos, mas também tanto choro e desespero. O que você fez pra ser melhor esse ano que se foi? Conquistou seu objetivo ou ficou o ano inteiro prometendo que faria e ficou sentado esperando acontecer tudo da noite pro dia? É, a vida não é fácil, e a cada dia ela nos demostra isso. Cabe a nós moldá-la e modifica-lá da nossa maneira. 

E é com essa reflexão, que hoje, a equipe LSM (Leitores e Suas Manias) vem compartilhar histórias, livros marcantes, datas especiais, e principalmente, felicidades àqueles que nos acompanharam neste ano tão maravilhoso e cheio de surpresas. 



• Juliana Avelino

Acho que deveria falar em como eu queria ter sido mais presente no blog este ano. Os problemas apareceram, o curso chegou ao fim, uma vaga de emprego apareceu, o fim do namoro de anos, uma prova para a faculdade dos sonhos apareceu, e o meu sonho de leitora desapareceu. Foi se afundando em meio à tantas coisas que eu precisava por em ordem. 
E agora que a poeira passou, percebi o quanto eu fui burra em pensar que me afastando do blog e de todas as outras coisas que eu amo, me fariam melhor. Mais foi ao contrário! Foi quando voltei a escrever, a me dedicar aos livros, a ouvir minha banda favorita no último volume e cantar ainda mais alto que percebi o quanto eu ainda tenho pra viver. E pra isso eu preciso fazer o que eu gosto. Sempre! 
Esse ano, não cheguei nem perto de bater minha meta de leitura (50 leituras no ano), não comprei/ganhei tantos livros e nem coloquei em dia os que eu ganhei no ano passado. Queria que tivesse sido um ano mais proveitoso, mas infelizmente não consegui. E por isso, essa será minha meta para 2016: 

- Ser feliz
- Adorar a Deus
- Ser feliz
- Comprar livros
- Ser feliz
- Viver pra Deus e ser feliz

Pode parecer pouco, mas essa é a base para um ano novo cheio de surpresas. E é isso que eu desejo para cada um de vocês, que mesmo com poucas novidades, continuaram nos acompanhando e transmitindo muito carinho. Que Deus possa realizar todos os seus sonhos! Ele nos ama muito! 

FELIZ ANO NOVO e muitos livros inesquecíveis à todos! 


Um beijo de toda a equipe ❤️ 
(Lília, Amanda e Jú) 


{Dezembro} Leitura Diária

Oláaaaaaaa leitores, tudo bem com vocês? Ganharam muitos livros nesse Natal? 


Hoje é dia de compartilhar com vocês a leitura da semana que mais me tocou e que merecia ser dividida. 

Encontrei esse texto no facebook (Não me lembro do nome da página agora), e fiquei admirada com sua simplicidade. Espero que ele fale com vocês da mesma forma que falou comigo. 

"Se o cara te ama ele vai pegar na sua mão, na sua coxa e na sua bunda. Ele vai borrar o teu rímel e seu batom de propósito e depois vai rir da sua cara. Vai te ligar de madrugada e dizer que não para de pensar em você, porém vai ter um dia que ele não vai te ligar, não vai mandar mensagem e vai te deixar preocupada. Vai te elogiar quando estiver bem arrumada, mas vai rir quando ver seu rosto ao acordar de manha. Vai te chamar de “Minha pequena, “Minha linda”, “Minha princesa” e também de “Minha gostosa”. Ele pode até falhar e te fazer chorar, mas assim como você ele não é perfeito. Ele vai largar das outras pra ficar contigo, mas quando passar uma menina bonita, ele vai olhar ainda comentar contigo: “Gostosa, né?” só pra te deixar com ciúmes, porque adora ver você com cara de brava."
—  Autor Desconhecido.

Sei que alguns de vocês já devem ter visto ele antes, mas precisava deixá-lo registrado aqui. 

Bom gente é isso. Espero que tenham curtido, e se você tiver um texto babaca que queira compartilhar, basta nos comunicar e quem sabe na próxima o seu texto não seja publicado aqui!! 

Um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo! 

Beijos da Jú ❤️



Notícia: Continução de Como Eu Era Antes de Você - Jojo Moyes

Olá leitores, como estão? Espero que bem. E espero que fiquem muito melhor com essa notícia maravilhosa !!

Alguém aqui é fã da querida Jojo Moyes? Sabemos que ela tem vários livros arrasantes, muitos que nos fizeram rir e chorar. A mais nova da nossa querida Jojo é a continuação do livro Como Eu Era Antes de Você. Isso mesmo, leitores, saberemos que rumo a vida de Lou tomou.

“Eu não tinha planejado escrever uma continuação. Mas trabalhando no roteiro da adaptação de Como eu era antes de você para o cinema e lendo o grande volume de tweets e e-mails todos os dias com perguntas sobre o que Lou fez da vida, percebi que os personagens nunca me deixaram”, explica Jojo.

Com essa "pressãozinha" Jojo fez uma continuação, onde Lou trabalhará como garçonete em um pub no aeroporto. Após um terrível acidente ela é obrigada a voltar para casa de sua família, mas algo de bom o acidente lhe dá, ela conhece um paramédico, Sam Fielding, que lida com a vida e a morte o tempo todo, a única pessoa capaz de compreende-la tão bem.
Lou ainda não superou a morte de Will, mas sabe que precisa dar um gás em sua vida, com isso, ela entra em um clube de terapia de luto. Onde conhece pessoas que passaram por coisa parecida, compartilham risadas, frustrações e acima de tudo, apoiam uns aos outros.

Espero que Lou consiga superar a morte de Will, e que as coisas deem certo para ela, afinal, essa guerreira merece. Batalhou á beça em Como Eu Era Antes de Você para ter seu querido Will por perto.

O livro tem previsão de lançamento para o dia 15 de fevereiro de 2016.

Mais informações no site oficial da escritora: http://www.jojomoyes.com/books/after-you/ (conteúdo em inglês)
Capa Original

E para os fãs de Como Eu Era Antes de Você...  O filme está com previsão de lançamento para o dia 18 de março de 2016, mas as gravações já começaram em Abril desse ano.
Teremos como Will Traynor o querido Sam Claflin (Finnick Odair em Jogos Vorazes - Em chamas), e como Louisa Clark ( Daenerys Targaryen em Game Of Thrones). Como Patrick- o corredor-teremos Matthew Lewis (Neville Longbottom em Harry Potter).

 Abaixo algumas fotos das gravações:




cena: A dança na festa de casamento


Beijos, Amanda.<3





Resenha: A Menina que não sabia ler Vol.2

Olá leitores, voltei.. e dessa vez trouxe a resenha de um livro que não gostei. Mas como cada um tem sua opinião, deixarei aqui  a minha e espero poder ler a de cada um.


A menina que não sabia ler Vol. 2 diferente do que imaginei, não relata o que ocorre a Florence depois que ela pega o trem no final do Vol. 1. Começa relatando a vida de um homem que carrega um tremendo mistério. Durante sua viagem de trem, algo extremamente impossível acontece livrando-o de seu destino. Dando-lhe a chance de recomeçar.

"Um acidente de trem.
Uma identidade trocada."

Assim que chegou na Ilha, Dr. Shepherd foi levado para seu novo aposento por uma mulher de cara nada amigável que informou que em breve seria atendido pelo Dr. Morgan, o chefe daquele hospital. Assim que foi deixado só, Shepherd olhou pela janela o local no qual se metera, uma ilha... não uma qualquer, uma ilha que funcionava como uma clínica psiquiátrica exclusivamente para mulheres.



Morgan é um homem baixinho, que gosta de manter todo seu negócio em ordem e em plena calma. Mesmo que as vezes as internas não permitam a calma reinar pelo hospital. Ao contratar o dr.Shepherd para o cargo, eles entram em um pequeno conflito sobre o modo como Morgan trata as internas. Shepherd tem uma teoria que a calma, o amor, poderá trazer a sanidade aquelas mulheres. O Tratamento Moral ao qual Shepherd queria dar a elas era negado por Morgan, até que um dia ele concede que ao dr. Shepherd pegue uma das internas como cobaia e teste suas teoria. O modo desafiador de Morgan deu a Shepherd mais vontade de conseguir uma das internas para provar que o tratamento daria certo. O que Shepherd não sabia, era que Morgan tratava  uma interna em especial desse modo, mas nada adiantara. Isso o frustou a ponto de tratar as outras com tamanha brutalidade.

Shepherd mantinha um segredo muito grande escondido de todos naquele hospital, sua vontade em salvar alguma paciente de sua insanidade dava-se por seus pecados, ele queria se redimir. Nada melhor do que salvar uma vida, não é?! A primeira interna que ele vai usar de cobaia para seu experimento, é uma jovem pálida de cabelos escuros, que não lembra nem seu nome. A única coisa que essa jovem se lembra é que ela é impermitida a aprender a ler.


Shepherd acha que sua vida poderá se estabilizar enquanto ele está ali, até que um dia ele recebe uma correspondência, de uma moça a qual ele nunca ouviu falar, mas que diz ser sua noiva. Para tentar tranquilizar-se ele manda uma carta para ela, esperando que ela não responda. Acontece que ele precisa por um fim a isso, não poderá continuar com isso ou será descoberto.
Sua vontade em deixar seu velho eu falar começa a perturbar-lhe a mente. Ele não pode, irão encontra-lo e será desmascarado. O que Shepherd fará para salvar sua pele?

Jane Pomba, é uma menina que não sabe como e por quê foi parar na ilha. Mais esperta do que muita atendente que trabalha naquele hospital, Jane torna-se a cobaia de um certo doutor. No começo do tratamento ela tem seu quarto modificado, seus horário, não precisará ficar com as outras internas. Mas de todos os benefícios que ele dá a ela, o que ela mais gosta- e onde mais fica- é na biblioteca. Mesmo que não saiba ler, Jane passa suas manhãs na biblioteca inventando histórias para as figuras que ela vê nos livros. Um dia, ela está a procura do dr. Shepherd e vai até seu quarto. Jane nota a existência de um livro em cima da cômoda, ao mexer nele ela descobre um recorte de jornal, nesse recorte contém o segredo de um homem. Ao sair do quarto, ela se depara com o doutor e diz que estava a sua procura..

Com o fim antecipado do inverno, Shepherd precisa sair da ilha urgente. Quando a neve derretesse, um corpo seria revelado e sua  identidade estaria revelada junto. Ele precisava de um plano.
Ele estava determinado a tirar Jane Pomba da Ilha, confiante de que ela não lera aquele recorte-afinal, ela não sabia ler- ele precisava tirá-la de lá. Correndo contra o derretimento da neve, Shepherd usou o segredo de Morgan para fugir da ilha. Ele descobriu o segredo-a amada- de Morgan por um leve descuido de O'Reilly- enfermeira chefe, que cuidava do segredo de Morgan.

   
 A menina que não sabia ler, no meu ponto de vista, teria tudo para ser um dos melhores livros, mas, ambos os volumes tiveram um final parcialmente inconclusivo. O primeiro volume termina com a fuga da Jovem Florence, sendo que ele continha um mistério gigantesco, que não fora revelado, esperei poder ter a revelação no segundo volume, mas me deparei com uma história totalmente diferente. O segundo volume não veio muito atrás do volume 1, rodeado de mistérios, para descobrir uma parte do quebra cabeça do primeiro volume você tem que se atentar muito para os pequeníssimos detalhes.

 Não se pode dizer que o livro é ruim, mas poderia ser muito melhor se todos os mistérios fossem resolvidos.
Tenham uma boa noite!
Classificação: 3/4

 E aí, o que achou? Dará uma chance ao livro? Deixe seu comentário! 
Beijos, Amanda. ❤️

Resenha: Os 13 Porquês

Olá leitores.. Alguém aí já se apaixonou por um suicida? Pergunta estranha, né? Mas é isso mesmo que leram. Como perceber que uma pessoa normal, aquela na qual seu coração dispara, está com uns pensamentos bem estranhos?
Mas foi isso que aconteceu com Clay Jensen.

Para saber mais.. Aperte o Play. ►
Clay Jensen é um jovem do ensino médio de poucos amigos, prefere o conforto da sua casa, às festas de arrombas que seus colegas de classe sempre dão. Entretanto, em uma noite, uma festa, ele vai. Mas vai com um juramento..
"se Hannah Baker aparecesse, eu ia conversar com ela. Estava na hora. [...] Aí, ela entrou, e eu pirei..."

Hannah Baker, além da queda de muitos meninos- incluindo Clay Jensen-, quem era ela? Uma menina que mal chegou na cidade e já conquistara tamanha reputação..infelizmente uma péssima reputação.

Mudada de uma cidade cheia de amigos, para uma cheia de desconhecidos, onde sua única conhecida- e vizinha-, Kat, estava de partida. Como viver assim, gente?
A primeira coisa que vem a mente: Fazer novos amigos. Estou certa?
Bom, foi nisso que Hannah pensou. Porém.. não foi assim que sua história se desencadeou.

13 pessoas. 13 histórias. 13 porquês

Em sua fita de "despedida", Hannah cita 13 motivos para seu suicídio, 13 pessoas com histórias intrigantes , outras picantes, e aquelas inúteis; inúteis para aqueles que praticaram o ato. Mas.. e para Hannah? Eram inúteis? Ou a magoavam?


Para sabermos ao certo, vou contar um pouco sobre essas 13 pessoas..

O primeiro a se deparar com uma caixa de papelão cheia de fitas, numeradas de 1 ao 7, e de cor azul, de cada lado se viam as letras A e B, foi Justin Foley. Por que Justin seria o primeiro? O que sua história tem de tão especial assim, para ele ser o primeiro? Simples, ele foi o começo da situação, ou como Hannah chamava, bola de neve.

 Antes de se mudar, Kat apresentou a Hannah dois rapazes: Zach e Justin. Com o passar do tempo, Hannah acabou se apaixonando por Justin, que se portou como um rapaz muito bonzinho. Quando finalmente ele demonstrou que sentia algo por ela, ele a chamou para um encontro.
Como seria um primeiro beijo?  Toda menina sonha com isso, não é? E não foi diferente para Hannah. Ela sonhou e quando realizou não podia ter sido de maneira  melhor. Correu tudo perfeitamente como ela sonhara. Naquele parque, perto daquele escorrega.. tudo perfeito.
Acontece que Justin não é um cara legal; ele não foi um bom rapazinho e saiu espalhando boatos  pela escola (af..odeio boatos). Daí surgiu uma pequena faminha para Hannah.

A próxima pessoa a receber a caixa, seria Alex Standall.
Em uma aula normal, uma lista é passada de mesa em mesa, cochichos são dados, risadinhas abafadas; mas nada na mesa de Hannah. Por que ela não poderia participar? Ah, mas ela estava.. não da forma que talvez quisesse. Não resistindo a curiosidade, ela se virou para carteira de um dos colegas e avistou, mesmo que de cabeça para baixo: CLASSE DO PRIMEIRO ANO: QUEM É GOSTOSA/QUEM NÃO É.
E adivinhem só, o nome de Hannah estava fazendo sucesso no lado das "gostosas"; demais, né? Bom, não foi o que ela achou, ainda mais tento aqueles boatos que Justin lançou no ar, e principalmente pelas repercussões que esses dois atos teriam.

"Precisam de um exemplo? Ótimo. B-3 no mapa de vocês."
Hannah gostava de comprar doces em uma loja chamada Blue Spot, onde ela sempre ia e nada acontecia...até o surgimento dessa lista. Pois é, isso é o que acontece quando numa lista citam sua bunda como a melhor do primeiro ano.
"[...]Mas no que diz respeito a sua história, Alex, o ato dele- o ato horrível e nojento dele-foi apenas um efeito colateral do seu."
Depois desse incidente na loja, por causa da lista, houve outro. Mas esse foi, digamos que, por ciúmes. Onde entra a terceira pessoa: Jessica Davis.
"[...] eu não estava totalmente sozinha no começo do meu primeiro ano no colégio. Dois outros alunos do primeiro ano, [...] também era novos no pedaço: Alex Standall e Jessica Davis. E, embora nunca tenhamos nos tornado amigos íntimos, nos apoiamos naquelas primeiras semanas."
Ambos tinham uma técnica de extravasar as pressões do novo colégio, as vezes que tentavam se entrosar e tinham o vácuo como resposta; eles iam ao Monet's, sentavam-se em sua mesa de hábito, colocavam a mão no centro e diziam "um, dois, três, pode sair da toca". E então, quem tinha o dia mais exaurido começava a desabafar.
Acontece que nenhuma amizade assim dura muito; e alguém ali caiu fora primeiro, depois o outro diminuiu a frequência do encontro, até que só sobrou Hannah. É por isso que Jessica está na lista de Hannah? Não... Quando Alex fez aquela lista, tinha o lado 'da gostosa', e obviamente o da 'não gostosa', certo? Exato. E quem estava do lado negativo da lista era Jessica. Ouve uma pequena discussão, pode-se até dizer que civilizada, e Hannah só saiu com um arranhão, por fora. E por dentro?
"Aquela cicatriz fininha que vocês viram  em cima da minha sobrancelha é a marca da unha da Jessica"
A quarta pessoa tem um lado pervertido a solta. Tyler Down, é o fotografo do corpo estudantil do colégio, mas um dia, Hannah o percebe em sua janela. O que estaria Tyler fazendo lá? E em intervalos curtos ela escuta clique...clique. Estaria ela sendo fotografada por um voyer?
Como ela descobriu que a pessoa que a fotografa era Tyler? Para isso, ela precisou da ajuda da quinta pessoa de sua lista... Courtney Crimsen.
"Por que você não me deixou em paz, Tyler? Minha casa. Meu quarto. Deveriam ser lugares seguros para mim."
 Courtney era uma menina muitíssimo popular, linda, adorável com todo mundo. Sem duvida a mais legal com todos. Mas sempre tem alguém para descobrir quem somos de verdade, e no caso de Courtney, essa pessoa foi Hannah.
Ela sempre tão atenciosa com as pessoas, disposta a ajudar, ajudou Hannah com seu pequeno incomodo com o tal voyer, acontece que, ela não ajudou por bondade, ajudou por ter um lado tão pervertido quanto Tyler. Algum problema nisso? Não. O problema se instalou quando Courtney ignorou Hannah por completo, como se ela nem existisse.
Passou-se um tempo e Courtney procurou Hannah para convida-la para uma festa; Nessa festa coisas aconteceram, incluindo mais um boato sobre Hannah, este criado e espalhado justamente por ninguém mais, ninguém menos que Courtney Crimsen. E esse é o motivo para ela estar nessas lista. Esse foi o motivo que acentuou a necessidade de descanso de Hannah.
"[...]Por que você me convidou para vir aqui? por favor, não me diga que servi apenas de motorista. Eu pensei que estávamos ficando amigas."

A sexta pessoa: Marcus Cooley. O que ele fez? Deu um bolo em Hannah. Mas isso, apenas isso, é motivo para se matar?
Gente, quando se vai a um local movimentado como o Rosie's, sozinho, isso atrai muita atenção, mesmo que não queira. E foi isso que aconteceu, 15 minutos de espera; e a quando se pensa em desistir.. ele aparece. Não é só isso, ele ainda se excede ao cumulo do absurdo, mais uma vez...
" Nada. É ridículo. Eu não pertenço a essas fitas. Hannah só queria uma desculpa para se matar."
 Zach Dempsey é um garoto tímido e gente boa. Mas fez com que Hannah perdesse, talvez a única chance de se salvar de si mesma.
Uma de suas aulas no colégio era Comunicação entre Jovens, para muitos professores era uma matéria inútil, uma perda de tempo. Mas para Hannah, era um jeito de se sentir conectada com as pessoas; nessa aula os alunos poderiam expressar o que estavam sentindo através de um método que a professora inventou, eles deixavam bilhetes para os colegas sobre o que pensavam destes. Mas onde foram parar os bilhetes de Hannah? Será que os colegas de classe não gostavam dela? Por que ela era a única que nunca recebia bilhetes?
"Talvez isso não parecesse grande coisa para você, Zach. Mas espero que você compreenda agora. Meu mundo estava ruindo. Eu precisava daqueles bilhetes.[...] E você? Você me tirou essa esperança. Você decidiu que eu não a merecia."
Isso fez de Zach a sétima pessoa.

Muitas pessoas tem uma maneira diferente de expressar o que sente, Hannah aprendeu a expressar seus sentimentos através de poesias.
"A mesma pessoa que me ensinou a gostar de poesia também me ensinou o valor de escrevê-la."
Acontece que um intrometido, roubou sua poesia mais profunda e publicou-a no jornal da escola. Ryan Shaver, esse é o motivo para você estar nessas fitas; você não tinha o direito de roubar algo tão intimo.
E assim começa a história de Clay, de uma forma que ele jamais imaginou. Romeu?
Bom, enfim consegui chegar ao personagem narrador, aquele que disse lá em cima, Clay Jensen, ele é a nona pessoa a ser  citada, o que difere Clay dos outros é que ele não fez nada para Hannah. Justamente por isso ele esta na fita. Por não ter feito nada..
"-Por que sou obrigado a ouvir isso?-explodo.-Por que ela simplesmente não pulou meu nome, se não pertenço à lista?"

Clay chamou a atenção de Hannah por sua reputação tão falada pelas pessoas de seu colégio.
"[...]mas minhas orelhas ficavam em pé sempre que eu ouvia o nome dele. Acho que queria ouvir alguma coisa-qualquer coisa-picante. Não porque quisesse espalhar alguma fofoca. Eu simplesmente não consegui acreditar que alguém pudesse ser tão gente fina assim."
Eu gostaria muito de contar para vocês tudo o que tem na fita de Hannah sobre Clay, mas não posso.

No entanto, tem um personagem amigo de Clay, que ficou encarregado de observar cada pessoa que esta na fita. Tony recebeu uma segunda caixa, contendo uma copia de cada fita, e quando uma pessoa esta com a caixa, ele deve observar para ver se ela vai passar a diante, caso contrario, ele deve seguir o pedido de Hannah: por a publico a segunda caixa com as cópias.

Não, Tony não é a décima pessoa. A décima é uma menina.. Uma pessoa que ajudou Hannah no episódio com Marcus, e ajudou-lhe depois da desastrosa festa quando ela expulsou Clay..


Depois de tudo que aconteceu na festa com Clay, Justin e mais duas pessoas, Hannah precisava ir embora, mas ela não sabia para onde ir, não queria, nem podia ir para casa. Ela havia ido escondida para festa, tudo para encontrar Clay. E o que ela fez quando o viu? O afastou..

Jenny Kurtz estava de saída da festa e ofereceu-lhe uma carona.
No caminho para casa, Jenny, que estava meio bêbada, bateu em uma placa de PARE num cruzamento. Um cruzamento sem placa de PARE é muito perigoso.
"Não havia nenhuma placa de "pare" naquela esquina. Não naquela noite. E um deles, um dos motoristas, morreu." 
 E é por isso que o décimo lugar pertence a Jenny; por sua imprudência.

Haveria uma outra festa, na rua da casa que Hannah estaria tomando conta.. ela poderia ir aquela festa. Porém, ela ainda não estava recuperada dos acontecimentos da festa anterior.
Mas, após o cessar do barulho da tal festa, Hannah resolveu dar uma volta pela vizinhança, e ao passar pela entrada da casa que outrora sediou uma mega festa, ela recebe um convite.
Acontece que, quando ela cede a esse convite, ela cede a sua reputação.
E Bryce.. você pertence ao décimo primeiro lugar por ser você.
"Portanto, meus parabéns Bryce. Você é o cara. Eu deixei minha reputação me pegar-deixei minha reputação se transformar em mim-junto com você. [...] eu não me senti atraída por você Bryce. Nunca. Na verdade, você me dava nojo."
Uma ultima vez.. Hannah tentou buscar ajuda.
"Estou dando mais uma chance à vida. E, desta vez, vou buscar ajuda."
Quando um aluno recorre ao professor é necessário saber quais palavras usar. Ao pedir ajuda ao Sr.Porter, Hannah tentou deixar claro o que estava acontecendo, porém procurou esconder sua vontade de.. bom, acabar com a própria vida.
Ao contar sobre os incidentes com os colegas Hannah esperava uma solução, uma luz no final daquele túnel escuro que sua vida estava, mas, infelizmente, sem perceber, o professor orientar jogou-a mais ainda para o escuro.
Então Sr. Porter, mesmo que não imagine seu nome numa fita de uma suicida; ele esta lá. Fazendo com que você seja a décima segunda pessoa dessa fita.
"[...] então você tem duas opções.[...] Uma delas é confrontá-lo.[...] A segunda, sem querer ser insensível, Hannah, é seguir em frente. "
Onde estavam os pais de Hannah enquanto sua filha era difamada pelos colegas de classe? Onde estavam os pais de Hannah quando ela se sentia sozinha e triste? Principalmente, onde eles estavam quando ela começou a pensar em se matar?

"Minha própria mãe
você me carregou dentro de si
agora você nada vê
além do que estou vestindo
as pessoas lhe perguntam
como vou
você sorri e acena com a cabeça
[...]
me conheça
não me enxergue apenas com seus olhos
Tire
essa máscara de carne e osso e
me enxergue
em minha alma
sozinha"

Seus pais sempre foram amorosos e atenciosos com ela. Porém alguém precisava sustentar a casa, e o que fazia isso era a sapataria que ambos eram donos. Depois do surgimento das obras de um shopping, eles ficara 'loucos'. Pois sabiam que se criassem algo daquele tipo, as lojinhas do centro perderiam muito. Com esses problemas subindo por suas cabeças, eles se distanciaram um pouco de Hannah. E não perceberam estar perdendo sua filhinha.

O livro chega ao fim de uma forma neutra e pelo choque do personagem narrador. Afinal, foram diversas historias de pessoas que ele sempre conhecera. Como será que Clay vai reagir ao dia seguinte às fitas, na escola? Como será olhar na cara de cada pessoa que motivou a morte de Hannah? A menina que ele nutria uma queda.

Espero que vocês gostem, e se ainda não leram.. leia. É uma leitura rápida e calorosa. Entenda profundamente cada motivo de Hannah. Cada Porquês.


Classificação: (3/5)**
-Amanda

Resenha: O Bangalô

Olá pessoal, estive um tampão afastada do blog por motivos escolares. Semana de provas, despedidas, preparação para formatura e muito chororô rs. No entanto, voltei com a resenha de um livro lindo !! Tanto em aparência, quanto em história. Todos já ouvimos falar sobre guerras, mas e a união de guerra e romance? Já também ! Mas não da forma que é contada essa história. Vamos lá, vou contar para vocês a incrível e confusa história de Anne.



Anne é uma linda jovem de 21 anos, que mora com seus pais em Seattle-EUA. Tem uma vida que toda menina de sua idade almeja: uma família perfeita e um noivo bem-sucedido. Mas será que isso bastava para ela?
Por toda infância Anne teve a companhia de sua amiga Kitty, uma menina linda que se transformara em uma linda moça. Kitty tinha seu charme com os homens, conhecia os pontos fracos de cada um, e isso incomodava Anne, ela queria que sua amiga se portasse mais como uma dama, mas Kitty dizia que Anne deveria se entregar as aventuras da vida, se apaixonar de verdade, como poderia estar a pouco de seu casamento sem ao menos poder certificar-se de que Gerard era mesmo o amor de sua vida? Mas ela sabia. E dizia para todos que contestasse seu amor. Ele era dela, e ela dele. Nada poderia mudar isso. Nada.

"Nunca se pode desempenhar um papel na vida, especialmente no amor."

Kitty amava demais sua amiga para vê-la infeliz e tentou- mesmo sem perceber- mostrar a Anne o que era paixão, o que, segundo Kitty, faltava no relacionamento de Anne. Mas Anne descordava. Depois da conversa que teve com Kitty, Anne começou a ter "conflitos internos" com relação a seu noivo, queira sentir que ele estava apaixonado a ponto de fazer loucuras por ela, que ele largaria o Banco em um dia de semana se fosse preciso estar com ela, atoa, sem nada a fazer. Queria ser como Kitty nesse ponto, poder sentir que está sendo amada. Ela sabia que Gerard a amava, mas e a paixão? O calor? Existira?
Com tantas preocupações ficou fácil para a governanta da casa, Maxine, descobrir o que a incomodava. Maxine sempre cuidou com todo amor e carinho de Anne, mas que ela preferia chamar de Antoinette.


No dia de sua festa de noivado, Anne percebeu que sua amiga não estava presente, o lugar que pertencia a ela estava vazio, e isso a preocupou. Mais tarde, Kitty apareceu no portão da festa e chamou a atenção de Anne. Quando esta chega perto de sua amiga, vê que Kitty está chorando, chorando muito. Após conversar com Anne, Kitty revela que ira para Bora Bora, uma ilha localizada no Oceano Pacífico. A guerra estava se agravando e precisavam cada vez mais de enfermeiras, como ela seria a única a não tocar sua vida, resolvera ir.
 Por ser uma ótima amiga e, no fundo, saber que precisava de uma aventura, Anne cancela seu casamento- que estava marcado para poucos dias depois da festa de noivado- para mais tarde. Ela sabia que amava Gerard e que ele a amava, que mal havia em esperar um pouco de tempo mais? Mas por quê não tornar oficial, como Gerard havia proposto? Por que não ir para uma ilha com tantos soldados, casada?


Ao deportarem na ilha, as enfermeiras foram muito bem recepcionadas e aclamadas. Um mar de uniformes a aguardavam. Kitty já chegou causando com os homens, incluindo o almirante. Anne passa os dias se segurando ao anel de noivado, de um ouro tão reluzente quanto o sol.

"Essa ilha tem o poder de mudar as pessoas"

Depois de uns dias na Ilha, elas vão fazer um passeio pela praia, mas Anne vai caminhar um pouco sozinha, deixando Kitty com Lance- seu par romântico- e um casal de amigos. Ao caminho ela encontra um homem, o mesmo homem que a defendera na festa de boas vindas às enfermeiras. Westry estava lá, com seu sorriso encantador, e a convida para um conversa. Depois de sua conversa, ele oferece-se à leva-la de volta. No meio do caminho, adentro da floresta, eles encontram uma casinha abandonada, um Bangalô, Westry sugere que eles reformem o local, e que ali seja o esconderijo de ambos. Anne cora com essa proposta, mas ela percebe que nada aconteceria ali, seu amor era por Gerard, fora a ele que ela prometera amor infinito, e não a Westry, ali seriam dois amigos, reformando um lugar com tantas histórias de alguém. E que viria a ser deles também. Anne concorda, até porque, Kitty estava tão mudada e ocupada com Lance, que ela precisaria ter o que fazer quando sua amiga não tivesse tempo para ela. E isso estava ocorrendo com muita frequência.



   O Bangalô é contado através da visão de Anne, ela conta sua história para sua neta Jennifer, quando esta lhe entrega uma carta que veio da Ilha. Reascendendo dentro dela tudo que vivera naquela época. Além da interessante história de Anne, temos o grande conflito que ocorrerá no casamento de seus pais, o final de Mary, sua doce e mais nova amiga. E o que será de Kitty?
Anne deverá fazer uma grande escolha entre Gerard- o noivo bem sucedido que se alistara depois que ela partiu para Bora Bora- ou Westry- o soldado que abalara seu coração, fazendo-a sentir a verdadeira paixão que Kitty sempre falara que faltava em sua relação com Gerard.

Bom Leitores, eu espero que vocês gostem da resenha. Que leiam o livro, e se apaixonem por essa incrível leitura. SARAH JIO, a escritora desse livro, soube perfeitamente bem  como prender a atenção dos leitores, e de como cativar nossos corações. Tenham um ótimo finalzinho de sábado! <3

classificação: 5/5 (Favorito) 


Beijos, Amanda. ❤️

Resenha: Prometo Falhar

Heeey leitores, tudo bom com vocês? 



Acho que a maioria das pessoas já devem ter ouvido falar desse livro, principalmente quem esteve na Bienal e conferiu o Estande da Novo Conceito. Mas se mesmo assim você não ouviu falar dele ainda, pode deixar que vou resolver isso agora. 

“Prometo Falhar” foi enviado pela nossa parceria com a NC, e assim que ele chegou foi amor à primeira vista. 

O livro é lindo e me peguei impressionada com certas partes, mesmo ele não fazendo o meu estilo de leituras atual. Criei muitas expectativas e acabei achando que o livro ficou a desejar. Parece que a cada crônica lida, a história permanece a mesma e só altera o ponto de vista. Isso porque, durante todo o livro, o autor fala de inúmeras maneiras de se amar alguém verdadeiramente. Nele você encontra as frases e pensamentos mais lindos e inteligentes já visto. 

“De tudo o que amo é você que mais me apaixona.” 

Demorei quase um mês para terminar esse livro – literalmente – por conta do curso e por se tratar de um livro em que você precisa ler com calma e atenção, por esse motivo, optei por ler antes de dormir para poder absorver mais da história do que ler com o barulho na rua, pessoas gritando e  etc. O que eu gostei bastante foi a escrita do autor. A falta de pontuação – ignorada pelo autor – nos faz perceber que para descrever o amor não existem regras, devemos deixar de lado as obrigações impostas pela sociedade de como se expressar com palavras e viver o que precisa ser vivido. Devemos apenas ser felizes, cada um da sua maneira. Basta saber completar um ao outro. 


“Quantas vezes é possível te amar pela primeira vez?”


Um livro com cenas soltas, que te deixa com um gostinho de quero mais, e faz com que qualquer leitor sinta vontade de viver aquelas palavras. De falhar como ele descreve. 


“O erro das pessoas é procurar o que não existe.” 


O que mais me atraiu na hora de escolher esse livro foi o título dele. Quem nunca falhou? E quem não tem muito em que falhar ainda? E mesmo com esse nome, ele te ensina que falhar é bom, te ensina a viver e a crescer como pessoa melhor. O que seria de nós sem nossos erros? 

Esse parágrafo eu preciso dedicar para falar do trabalho super bem feito da Editora Novo Conceito na edição desse livro, sem contar a diagramação que ficou impecável. Adorei cada centímetro dele e estou  viciada em ficar admirando-o junto aos meus outros livros. *-* 

Mesmo usando o tema falhar, espero não ter falhado na missão de apresentar e encantar vocês com essa obra tão fascinante. E agora quem for ler quero saber o que achou hein ❤

“Continue falhando em busca da sua felicidade, pois ela sempre estará mais próxima do que você imagina.” Por Juliana Avelino. 

Classificação: ⭐⭐⭐ (Recomendo) 

Beijos da Jú e até a próxima ❤ 

Resenha: Para Continuar

Olá leitores! Tudo bem com vocês? 
Sumi um pouco aqui do blog por causa da correria para o fim do meu curso e acabei me afastando do meu espaço, deixando apenas as minhas resenhistas, Amanda e Lília atualizando vocês com suas últimas leituras. Espero que tenham gostado de cada uma, pois foram feitas com muito carinho pra vocês! 


Hoje eu trago a resenha da minha última leitura também, há exatos dois dias atrás. E quero mostrar (mais uma vez!) como os nossos autores nacionais estão lançando livros tão fantásticos. 

E para começar a apresentação dessa obra, gostaria de fazer uma pergunta que  fosse respondida com toda a sinceridade possível. "O que você faria se descobrisse que possui uma doença sem cura?". Agora, vamos conhecer essa história comovente, que te fará abrir os olhos e descobrir a resposta certa. ❤️


De início, somos apresentados ao nosso casal, embora os fatos sejam relatados com o ponto de vista de Leonardo. Um rapaz de apenas 20 anos, mas que já vivenciou momentos muito tristes em sua  vida, devida a sua grande e terrível doença, que o impede de fazer inúmeras coisas que todos os jovens sentem vontade em fazer. Léo foi diagnosticado com uma doença que possui o nome desconjuntado, Cardiopatia Dilatada Idiopática, que nada mais é que, uma insuficiência no músculo cardíaco para bombear o sangue de forma natural. 

Também somos apresentados à Ayako, uma jovem oriental que perdeu seus pais muito cedo e que hoje vive com seu avô. Eles moram em cima da própria loja, onde vendem todos os tipos de luminárias na rua da Liberdade. E é a partir daí que passamos a desvendar toda a magia que o livro pretende nos apresentar. Ayako é uma guardiã! Mais não posso entrar em muitos detalhes para não dar Spoillers :P 

Eles não tinham nada em comum e ainda por cima nenhuma chance de se conhecerem. Mas ao pegar o metrô, Leonardo se depara com uma garota com lindos olhos de mangá e não consegue mais parar de admirar. Ele pensa em inúmeras possibilidades de iniciar uma conversa saudável com ela mas nada vem a sua cabeça. Então, ele resolve sentar-se ao lado dela e perguntar o que ela está ouvindo, e é quando ela coloca o fone no ouvido dele, que o amor deles se inicia e começamos a torcer para dar certo. 

Esse foi o primeiro livro que li do Felipe Colbert, e não procurei nenhuma crítica relacionada à ele. E que ótima atitude que eu tive, pois acabei me apaixonando pela escrita e em como ele faz seus personagens se tornarem nossos melhores amigos. E inimigos. 


Classificação: 4/5 

E aí, o que achou? Dará uma chance ao livro? Deixe seu comentário! 


Beijos da Jú ❤️

{Novembro} Leitura Diária

Olá leitores, tudo bem com vocês? \0/ 
Hoje quero começar uma coluna nova aqui. Eu tenho um grande hábito de ler textos de todos os estilos em sites e páginas no Facebook, e ontem, encontrei um tão lindo e emocionante, que precisei dar um jeito de apresentar à vocês. 

O Leitura Diária vai funcionar da seguinte forma: Divulgarei o melhor texto lido na semana. E assim, podemos trocar ideias, ou até mesmo abrir espaço para vocês poderem enviar seus textos. Já imaginou ver seu texto/poesia sendo lido por diversas pessoas? Então, conte com a gente! :) 

E agora chega de papo e vamos ao texto escolhido para inauguração da nova coluna do blog. Espero que gostem! ❤️

"Namore uma garota que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Ela também tem problemas com o espaço do armário, mas é só porque tem livros demais. Namore uma garota que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca desde os doze anos.
Encontre uma garota que lê. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido na bolsa. Ela é aquela que olha amorosamente para as prateleiras da livraria, a única que surta (ainda que em silêncio) quando encontra o livro que quer. Você está vendo uma garota estranha cheirar as páginas de um livro antigo em um sebo? Essa é a leitora. Nunca resiste a cheirar as páginas, especialmente quando ficaram amarelas.

Ela é a garota que lê enquanto espera em um Café na rua. Se você espiar sua xícara, verá que a espuma do leite ainda flutua por sobre a bebida, porque ela está absorta. Perdida em um mundo criador pelo autor. Sente-se. Se quiser ela pode vê-lo de relance, porque a maior parte das garotas que leem não gostam de ser interrompidas. Pergunte se ela está gostando do livro.

Compre para ela outra xícara de café.
Diga o que realmente pensa sobre o Murakami. Descubra se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entenda que, se ela diz que compreendeu o Ulisses de James Joyce, é só para parecer inteligente. Pergunte se ela gosta ou gostaria de ser a Alice.
É fácil namorar uma garota que lê. Ofereça livros no aniversário dela, no Natal e em comemorações de namoro. Ofereça o dom das palavras na poesia, na música. Ofereça Neruda, Sexton Pound, cummings. Deixe que ela saiba que você entende que as palavras são amor. Entenda que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade mas, juro por Deus, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco como seu livro favorito. E se ela conseguir não será por sua causa.

É que ela tem que arriscar, de alguma forma.
Minta. Se ela compreender sintaxe, vai perceber a sua necessidade de mentir. Por trás das palavras existem outras coisas: motivação, valor, nuance, diálogo. E isto nunca será o fim do mundo.

Trate de desiludi-la. Porque uma garota que lê sabe que o fracasso leva sempre ao clímax. Essas  garotas sabem que todas as coisas chegam ao fim.  E que sempre se pode escrever uma continuação. E que você pode começar outra vez e de novo, e continuar a ser o herói. E que na vida é preciso haver um vilão ou dois.

Por que ter medo de tudo o que você não é? As garotas que leem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem. Exceto as da série Crepúsculo.

Se você encontrar uma garota que leia, é melhor mantê-la por perto. Quando encontrá-la acordada às duas da manhã, chorando e apertando um livro contra o peito, prepare uma xícara de chá e abrace-a. Você pode perdê-la por um par de horas, mas ela sempre vai voltar para você. E falará como se as personagens do livro fossem reais – até  porque, durante algum tempo, são mesmo.
Você tem de se declarar a ela em um balão de ar quente. Ou durante um show de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Ou pelo Skype.
Você vai sorrir tanto que acabará por se perguntar por que é que o seu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Vocês escreverão a história das suas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos mais estranhos ainda. Ela vai apresentar os seus filhos ao Gato do Chapéu [Cat in the Hat] e a Aslam, talvez no mesmo dia. Vão atravessar juntos os invernos de suas velhices, e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto você sacode a neve das botas.

Namore uma garota que lê porque você merece. Merece uma garota que  pode te dar a vida mais colorida que você puder imaginar. Se você só puder oferecer-lhe  monotonia, horas requentadas e propostas meia-boca, então estará melhor sozinho. Mas se quiser o mundo, e outros mundos além, namore uma garota que lê.

Ou, melhor ainda, namore uma garota que escreve."

—Rosemary Urquico 


E então, o que acharam? Se tornou o meu favorito! 
Até a próxima com mais um Leitura Diária. ;D

Beijos da Jú ❤️

Resenha: Como Se Apaixonar


     Como se Apaixonar ,é narrado pela personagem principal Christine, que conta a história de suas improváveis situações que por vezes a deixaram em saia justa. Christine tem costumes incomuns e tenta seguir a vida com livros de auto ajuda, um tema para cada coisa, uma lição para cada situação. Em seu estabelecimento de trabalho, ela tem uma estante com vários livros de auto ajuda, organizados por títulos. Ela acredita ser capaz de ajudar ao mundo através de seus conhecimentos- concebidos pela leitura- , mas não consegue resolver seus próprios.

“Às vezes, quando você vê ou vivencia algo muito real, fica com vontade de parar de fingir. Você se sente um idiota, um charlatão. Fica com vontade de afastar-se de tudo o que é falso, seja algo inocente e inofensivamente falso ou algo mais sério; como seu casamento. Isso aconteceu comigo.”

Após sua tentativa falha em impedir um homem de suicidar-se, Christine resolve tomar uma decisão séria em sua vida, ela leva ao término seu casamento, pois acreditava que ele não a fazia feliz. Por mais que tentasse fazer as coisas certas, acabou magoando-o , e sofreu retaliações por isso. Durante seu processo de separação ela conhecerá um rapaz lindo, aos olhos de qualquer mulher, forte, atraente, mas a situação que os uni, não a deixa perceber total beleza que ele tem, a única coisa que ela quer é que ele suba, e esteja em segurança.

"Eu estava chorando mais agora, soluçando sem controle, meus ombros pulando para cima e para baixo, meus braços ainda enrolados no peito dele, segurando como se quisesse salvar minha própria vida. "

Adam Besil, o galã que está prestes a tirar sua vida, é salvo por uma mulher que nunca tinha visto na vida. Mas o fez parar e pensar que talvez as coisas pudessem dar certo. Ela nunca o vira, por que queria que ele repensasse a vida? Mas como todos precisam de chance, Adam concedeu a ela a chance. E um prazo : duas semanas.
Christine teria duas semanas para mostrar a Adam que a vida pode ser uma beleza, que você pode superar as mágoas, os rancores, o amor perdido, as amizades tiradas e as decepções familiares. Apenas duas semanas para convencer alguém a viver. Uma grande responsabilidade…

O livro tem um encanto, em cada página mostra como Christine luta pela vida de alguém que ela nem se quer sabia de onde vinha, mostra como Adam vai reagindo a cada etapa, cada demonstração de “vida”. E como a vida de dois desconhecidos pode ajudá-los a superar seus próprios problemas. Merecem destaque, também, o pai e as irmãs de Christine, que cativam o leitor principalmente por seu peculiar humor.


 Bom leitores, espero que tenham gostado. E que leiam o livro. É um livro bem emocionante, mostra como as escolhas certas fazem a diferença, e que precisamos sempre sermos honestos com todos a nossa volta. E com nós mesmos.

Classificação: 4/5

E aí, o que acharam? Deixe seus comentários! Beijos ❤️

Divulgado pôster oficial da série de TV "Shadowhunters"

Boa noite leitores! Tudo bem com vocês? 

Eu não sei se tem muitos fãs dessa saga aqui (imagino que sim), mas sei que todos já conhecem, então, vejam só o que acabou de ser divulgado! 


Isso mesmo! O pôster oficial da série de TV "Shadowhunters", baseada em Instrumentos Mortais. ❤️

E então, o que vocês acharam? Eu estou DOIDA para assistir! 

Beijos e até a próxima. ❤️

Lançamentos de Novembro/2015 da Editora Novo Conceito

Heeyy Leitores, tudo bom?

Venho compartilhar com vocês os lançamentos da NC, que estão um máximo! Irá surpreender a todos neste fim de ano. Eu estou doida para ler esses lançamentos! E aí preparados!?

O Bangalô

Verão de 1942. Anne tem tudo o que uma garota de sua idade almeja: família e noivo bem-sucedidos.

No entanto, ela não se sente feliz com o rumo que sua vida está tomando. Recém-formada em enfermagem e vivendo em um mundo devastado pelos horrores da Segunda Guerra Mundial, Anne, juntamente com sua melhor amiga, decide se alistar para servir seu país como enfermeira em Bora Bora. 

Lá ela se depara com outra realidade, uma vida simples e responsabilidades que não estava acostumada. Mas, também, conhece o verdadeiro amor nos braços de Westry, um soldado sensível e carinhoso.

O esconderijo de amor de Anne e Westry é um bangalô abandonado, e eles vivem os melhores momentos de suas vidas... Até testemunharem um assassinato brutal nos arredores do bangalô que mudará o rumo desta história.

A ilha, de alguma forma, transforma a vida das pessoas, e este livro certamente transformará você.


Esperando Por Doggo

Dan achava que tinha uma vida feliz com Clara, mas, de uma hora para outra, ela desaparece inesperadamente de sua vida, deixando para trás apenas uma carta de despedida e um cachorro. A pequena criatura é incomum e sequer tem um nome definitivo, ele é simplesmente chamado de Doggo. 

Agora, Dan tem a missão de devolver Doggo, e, ao mesmo tempo, encontrar um novo emprego. A primeira missão parece ser fácil, a segunda, nem tanto.

Com o passar dos dias, Dan começa a desfrutar da companhia de Doggo e não tem coragem de abandoná-lo. 

De forma singela, mas significativa, a presença do pequeno cão ajuda àqueles que estão ao seu redor. Doggo acaba tornando-se muito mais que um amigo de quatro patas, transforma-se em uma verdadeira fonte de inspiração para o trabalho e para a vida de Dan. 


Esperando Doggo não é só um livro sobre um cachorro. É um livro sobre o poder de uma verdadeira e sincera amizade.

Todos Os Nossos Ontens 

O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo?
Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse?
Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem?

Em um futuro não tão distante, a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas. 

O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo.


O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo...


Espero que tenham curtido esses lançamentos!

Beijos e até a próxima!
-Lili

Resenha: Soldier - Leal até o Fim

Tom Ryder é convocado para lutar na Primeira Guerra Mundial. Seu irmão Stanley fica desamparado. Sua mãe havia morrido recentemente e o seu pai, Da, enlouqueceu, entrou numa depressão profunda.
A única alegria do garoto passou a ser os filhotes de Rocket, a cadela premiada que é o orgulho da família. Porém, ao descobrir que Rocket teve filhotes mestiços, Da fica furioso e ameaça afogar os cãozinhos, por não serem de raça pura.

Stanley cuida dos filhotes e se apega muito a um único macho da ninhada e da o nome de Soldier. Mas Da está mais ainda frio e numa manhã quando Stanley acorda descobre que Soldier sumiu e culpa o pai pelo ocorrido.

"Se um cachorro o ama, ele vai fazer qualquer coisa por você. Se ele te ama, ele vai sempre voltar pra você".

Com raiva e dor ele foge de casa, e mentindo sua idade se alista nas tropas inglesas, decidido ir para longe do pai e encontrar seu irmão Tom, se torna um adestrador de cães do exercito. Somente o amor incondicional pelos animais será capaz de sobreviver à horrores da guerra e a frieza dos campos de batalha. E o destino vai colocar no caminho de Stanley um amigo que irá lutar ao seu lado.


****
A narrativa do livro é em terceira pessoa. A autora mescla informações históricas com muita facilidade e sensibilidade, gostei disso.

Para quem ama cães é claro que o livro já chama atenção só pela capa e sinopse. Soldier é um cão encantador, e não tem como não gostar dele e a forma como as coisas acontecem te fazem querer continuar.

Até que gostei um pouco, apesar do enredo não ser bem o meu estilo literário.

Soldier é um livro que fala sobre amizade, lealdade e coragem. E recomendo para todos que gostem de cães e relatos históricos durante a Primeira Guerra Mundial.

Classificação: *** (3/5)

E aí já leu!? O que achou!? Deixe seu comentário!

Beijos e até a próxima!
- Lili

Resenha: Sonhei que amava você

Ei pessoas, quem aí fez o ENEM e está naquela pilha de nervos? Relaxa ai que o resultado é só em Janeiro, e se Deus quiser, todos passaremos !!🙏
Pra descontrair e se apaixonar, vou compartilhar com vocês uma história muito linda, de um livro brasileiro (Que escritora maravilhosa!!!) que me encantou desde a primeira página. Espero que gostem.😊


Kira é uma típica garota do Rio, mora no Recreio dos bandeirantes ,é bonita, divertida, inteligente, rica, mas não esnobe nem patricinha. Com apenas 22 anos acertou em cheio na sua vida profissional. Mas driblar a pressão de sua família não foi nada fácil. Vejamos : sua mãe era dona de um restaurante - o Enxurrada Delícia- , seu pai era Juiz, e tinham os gemeos, Carlos Eduardo-Cadu-, e Carlos Rafael-Cafa, que já tinham as carreiras definidas, o que encrencava mais ainda para Kira.
Cadu queria trabalhar com restaurante, para alegria materna, e estava fazendo MBA em ADM e cursos gastronômicos, Cafa queria ser medico, seguindo os passos do avô paterno, e estava fazendo residência na clínica de um amigo da família. Bom, parece que o sonho de Kira iria ser bem complicado em ser realizado. E foi. Mas tendo uma família tão unida e compreensiva como a sua, foi tranquilo seguir seu sonho, e de sua amiga Leandra, a Lelê.


Tivera a certeza da sua vontade em algo novo em um conversa seria com Lelê, foi aí que perceberam que poderiam construir seus sonhos juntas, e a assim nasceu a Canto da casa. A lojinha tinha de tudo um pouco, de roupas de dar uma volta na aparência a móveis redecorados com todo o coração. Sempre é bom trabalhar com o que se gosta, ne ?! Pois é isso que essa duas faziam ! Trabalhavam com todo o coração, todo amor.
E como será que era pra Kira ser a irmã dos "mais mais do Recreio"? Nunca foi fácil. Tinha que lidar com amigas casuais, cheias de interesses nos gatões. Ela admirava a beleza dos irmãos, eles eram idênticos, só na aparência mesmo rs.. Cadu era reservado, cabeça, um cara tranquilo e discreto em seus romances. Cafa, bem, o nome faz juz a personalidade , sedutor que só ele, sempre aparecia nas festas acompanhado, e nunca com a mesma menina de antes. Kira é apaixonada pelos irmãos, o jeito de nunca a deixarem de lado, de sempre levarem ela a tudo que é festa.-mesmo sendo 4 anos mais nova-, mantinham a mesma roda de amigos, mesmas conversas, e isso a envolvia.


Mas algo faltava em sua vida. Sabia bem que tinha tudo, era feliz, animada, rodeada de amigos, tinha a família que todos queriam ter, mas no fundo ela se sentia sozinha. Sua vida amorosa não estava nada boa. E ela sabia que chegaria um momento que aquilo deveria ser resolvido.
Aos poucos foi chegando, mas antes que ela pudesse conhece-lo, ele chegou pelos seus sonhos.


Os sonhos de Kira ficavam cada vez mais intensos, eram reais. Ela sentia a presença dele, sentia seu toque, e o mais impressionante, sentia-se apaixonada por alguém que ela nunca vira na vida, só nos sonhos. Passaram-se os dias, e os sonhos se concretizando, fazendo seu coração saltar do peito todas as manhãs ao lembrar-se das cenas, dos carinhos, das palavras, daquela paixão tão ardente. Mal sabia ela que sua vida calma e na linha, daria uma reviravolta ao conhecer o amor de sua vida, com a mesma blusa que a impressionara na loja do shopping , com o mesmo sorriso dos sonhos, e as memas juras de amor que faziam com que ela voasse.


Felipe é um garoto tranquilo, mora no Recreio e segue a vida trabalhando na loja da família. Apaixonado por bichos e um encanto de garoto. Tem uma personalidade forte e um corpo de tirar suspiros, nada superficial , nem malhado, mas aquela beleza de natureza que encanta a qualquer uma.
Nada na sua vida é anormal, exceto o carma que é ter uma ex que não aceita o término. Mas isso ele leva na educação e não vê o por quê de se estressar, um dia ela irá acordar , e até lá ele vai levando. Mal sabe que quem irá ser sacudido é ele rs.
Até que um dia ele presencia um acidente, e ajudará um rapaz a salvar as vítimas do ônibus que acertou em cheio uma árvore, correndo o risco de explodir. Enquanto Felipe ajuda ao recém conhecido, nota que está sendo observado por uma pessoa que está completamente fora de si ao olhá-lo...

Esse livro tem uma magia, uma energia, uma história. Meninas , se tem alguém que frequente esse blog e é apaixonada por uma história de amor de arrancar lágrimas , não deixe de ler Sonhei que amava você. É um livro que foge do parâmetro, que te deixa com vontade de estar na pele do personagem, a paixão transmitida nesse livro é de dar inveja, quem já se apaixonou, sente vontade de se apaixonar de novo. Quem nunca se apaixonou, vai se apaixonar por esse livro e levá-lo no coração pra sempre. Tammy soube muito bem em como desconcertar os corações. E não para por aí !! O livro tem um misteriozinho que te convida mais ainda a lê-lo. Retrata um sumiço, que é revelado por sonhos. Os sonhos não ficam só dentro da cabeça, ele é vivido.
Bom gente, deixo aqui um convite : LEIAM !
Não irão se arrepender,  muito pelo contrário, vão se apaixonar.

Classificação : 5/5 (Favorito) 


E aí, já leu? O que achou??
Deixem seus comentários ! 😊

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo