Resenha do leitor: A indenização


Heeeey gente, tudo bom? 
Venho hoje com a segunda publicação da coluna "Resenha Do Leitor". Essa resenha foi enviada pela minha colega de turma Alexia, e assim como todo leitor, não sai de casa sem um bom livro na bolsa. Eu vi como ela devorou esse livro e fez questão de dedicar seu tempo para divulgá-la aqui. Então sem mais delongas, confiram a opinião dela sobre o livro "A Indenização" :)

O livro retrata uma história empresarial bem incomum. Numa manhã de sábado, em um prédio comercial que só funciona de segunda a sexta, uma reunião é feita. A maioria deles está cansado demais para uma reunião no sábado ou de ressaca, mas todos os funcionários convocados comparecem. Eles são Jamie DeBroux, Amy Felton, Ethan Goins, Roxanne Kurtwood, Molly Lewis, Stuart McCrane e Nichole Wise, além de David (o chefe).

Quando todos chegam e a reunião começa (depois dos biscoitinhos, suco e champagne) Murphy abre o jogo com seus funcionários. Eles são uma empresa fachada parte da inteligência secreta federal, estão encerrando seus serviços e os funcionários sabem demais. Alegando que os elevadores foram programados para não pararem naquele andar pelas próximas 8 horas, que tem bombas tóxicas nas escadas de incêndio e que as linhas telefônicas daquele andar foram cortadas, Murphy os deixa duas opções: eles podem beber veneno ou levar um tiro na cabeça, simples e rápido. Quando os funcionários percebem que a improbabilidade daquela situação não a torna irreal, a luta começa. A luta por suas vidas, cada minuto que passa é mais importante que o anterior. Com os instintos de sobrevivência a flor da pele todos tentam achar um meio de fugir. No final das contas, morrer não é uma opção.

Muito bem escrito, "A Indenização" nos cativa do início ao fim. Com reviravoltas surpreendentes (e bota reviravolta nisso) notamos que até o plano mais bem elaborado tem margem de erro. Narrado pelo ponto de vista de quase todos os personagens, é um daqueles livros que você vai descobrindo as coisas junto com os personagens, sofre junto com eles e fica em um dilema do tipo "estou torcendo por quem?". Duane Swierczynski, esse gênio de nome impronunciável e editor da Marvel Comics, nos presenteou com uma história maravilhosa onde os limites humanos são testados a todo momento e você simplesmente não sabe o que vem a seguir. No começo da leitura você sabe tanto quanto os personagens e no fim você sabe apenas o essencial para entender o livro, algo torturante e que nos faz implorar por uma continuação.

Classificação: 5/5 

                          Beijos da Jú ❤️

Resenha do leitor: Os Adoráveis

Heeeey gente, tudo bem com vocês? 

Tenho grandes novidades para compartilhar com vocês em breve e tenho certeza que todos vão adoraaaar! Em relação à Bienal, fiquem tranquilos pois irei fazer um posts pra tirar algumas dúvidas que sempre nos rododeiam quando chega essa época. 

A resenha de hoje foi feita por uma leitora aqui do blog e uma grande amiga minha. Então todos os créditos possíveis para Amanda Faria. :)


Jeane é uma menina de 17 anos,mas não como as outras, tem seu estilo de vida próprio e bloga sobre esse estilo. No Adorkable ela expõe seus pensamentos, sua maneira inusitada de se vestir, mostra ao mundo as cores de seu cabelo, mostra, através da "poeiracam" a bagunça de seu apartamento e sempre procura mostrar que ser diferente não é errado. Jeane não liga para o que seus colegas de classe pensam de sua aparência das coisas que ela faz ou diz, até que um dia isso muda. Jeane se vê a beira de uma "quase histeria".

Barney é o amigo, e namorado de Jeane. acontece que eles são totalmente opostos, Barney tem um jeito mais na dele, se perde nos assuntos que jeane fala, não se adapta as festas que ela o leva. Mas um dia, ele resolve mudar isso.

Scarlatt é uma menina totalmente como as outras, tem sua roda de amigas , é popular e namora o cara mais gato da escola. chega um ponto que seu namoro  não está sendo aquela coisa, será que ela vai deixar as coisas como estão ? Ou será que ela vai trazer a toa o lado feroz ?

Michael Lee é um garoto de lindas maçãs do rosto, participa do conselho estudantil, joga futebol , tira ótimas notas e tem a família perfeita. Mas um dia ele sai da rotina, vira a sua vida de cabeça pra baixo, vive coisas que talvez jamais viveria se não se permitisse...

Os adoráveis, de Sarra Manning, tem uma história extremamente cativante, que mostra ao leitor como pode ser a vida de uma pessoa que não se encaixa nos padrões da sociedade pelo simples fato de não usar uma roupa "normal".



Classificação: 4/5

    Beijos da Jú ❤️

Resenha: Eu Te Darei o Sol

O livro conta a história de Noah e Jude, eles são muito diferentes: Ela é uma garota agitada, não há meio termo, é sim ou não. Ele é um garoto tímido, reservado, sempre na dele, porém um excelente artista que aparentemente nasceu pronto para ser um pintor renomado.

As coisas entre eles começam a ficar tensas depois de um acidente que afeta muito a vida deles e da família. E apesar de tudo, eles ainda teriam que lidar com problemas chamado amor. E segredos que podem destruir para sempre o que tinham até o momento.



***
A história é narrada pelo ponto de vista dos irmãos Noah e Jude, sendo alternados entre datas e períodos, passado ou presente (o que gostei muito). Eu te darei o sol, aborda a disputa entre irmãos para conseguir atenção e favoritismo na família e na vida. 

 "Sempre sei o que se passa na mente da Jude. Não é tão fácil para ela saber o que se passa na minha mente, porque eu tenho persianas mentais e as fecho sempre que acho necessário. Como ultimamente".


O livro aborda muito mais do que apenas uma história sobre irmãos, mas sim o relacionamento "conturbado" de uma família. A história inicia-se pela visão de Noah aos 13 anos. Introvertido, fechado, a única forma que ele expõe seus sentimentos e até os mais profundos é desenhando. Desenhos muito bem feitos e elaborados, sua mente é como um arco íris de cores. Seus desenhos enchem a mãe de orgulho e geram inveja na irmã, sem amigos seu único objetivo é fazer parte de uma famosa escola de artes.


Mas com a chegada de um novo vizinho que Noah começa a descobrir não somente como é ter um amigo, mas como é estar apaixonado.



“Encontrar sua alma gêmea é como entrar numa casa onde você já esteve – você vai reconhecer a mobília, os quadros na parede, os livros nas prateleiras, as coisas nas gavetas: você é capaz de se localizar no escuro se precisar”.

 Pelo ponto de vista de Jude aos 16 anos, diferente do irmão, tem popularidade, surfa e tem amigos que a "idolatra". Conhecemos uma menina, que apesar de ter muitos amigos e ser popular, possui mágoas e arrependimentos. Depois da perda da sua avó, que acreditava que a amava muito, e desde então, vem seguindo a vida com um livro de superstições deixado pela avó que acredita que irá curá-la de qualquer dor. Ela não tem o mesmo talento que o irmão, com desenhos, mas pelo contrário, Jude faz esculturas de areia. Diferente do irmão, Jude é insegura e não acredita nas suas próprias habilidades. 

Ao decorrer da história, percebemos como eles se completam e competem desde pequenos, e depois do acidente, abalando as estruturas da família, vemos o quanto a dor e o sofrimento os afasta um do outro.

"- Certo – diz ela. Árvores, estrelas, oceanos. Tudo bem.
- E o sol, Jude.
-Ah, claro – diz ela, surpreendendo-me completamente. – Eu te darei o sol.
- Tenho praticamente tudo agora! – digo. – Você é louca!"



  
No decorrer, vamos descobrindo alguns segredos sobre a família Sweetwine. E percebemos como conflitos e mentiras são capazes de destruir sonhos. Em meio a toda a tragédia, Noah e Jude perderam não somente uma pessoa querida, mas o encanto pela vida e pela a arte. Tornaram-se pessoas vazias e solitárias, sem desejo de continuar adiante. Precisando de ajuda e inspiração para seguir em frente. E enquanto Noah se fecha cada vez mais, não permitindo que Jude ultrapassasse as barreiras criadas por ele. Jude busca ajuda para esculpir uma nova escultura de pedra que pudesse agradar a mãe. 

“Às vezes quando se surfa, você pega uma onda e percebe que está “sem chão”, e de repente, sem aviso, você se vê caindo diante da parede de água.
Sinto-me assim”.


 No começo, até o meio do livro não achei bom o suficiente, não tinha conseguido me prender desde do inicio. Depois do meio pro fim, que a narrativa foi me cativando mais e fiquei com verdadeiro interesse de ler até o final.
Os capítulos narrados pela Jude no começo, não gostei, mas deu para ir levando até chegar no meio, gostei muito dos capítulos narrados pelo Noah. Na minha opinião deveria ter mais capítulos no ponto de vista dele.
 Depois os capítulos no ponto de vista da Jude ficam melhores e você começa a se interessar pela narração dela.

Apesar disso, Eu Te Darei o Sol, me fez questionar e compreender coisas na vida, gostei mais do livro do meio para o fim. Não é uma história grandiosa mas que ainda assim possui seus méritos e encantos, principalmente no que diz a respeito as relações interpessoais e todas as consequências diante de decisões e atitudes.

Recomendo para quem gosta de conflitos, relacionamentos, descobertas e um pouco de romance.

Classificação: *** (3/5)

Já leu? O que achou? Deixe seu comentário :D

Beijos e até a próxima!

- Lili

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo