Resenha: Eu Te Darei o Sol

O livro conta a história de Noah e Jude, eles são muito diferentes: Ela é uma garota agitada, não há meio termo, é sim ou não. Ele é um garoto tímido, reservado, sempre na dele, porém um excelente artista que aparentemente nasceu pronto para ser um pintor renomado.

As coisas entre eles começam a ficar tensas depois de um acidente que afeta muito a vida deles e da família. E apesar de tudo, eles ainda teriam que lidar com problemas chamado amor. E segredos que podem destruir para sempre o que tinham até o momento.



***
A história é narrada pelo ponto de vista dos irmãos Noah e Jude, sendo alternados entre datas e períodos, passado ou presente (o que gostei muito). Eu te darei o sol, aborda a disputa entre irmãos para conseguir atenção e favoritismo na família e na vida. 

 "Sempre sei o que se passa na mente da Jude. Não é tão fácil para ela saber o que se passa na minha mente, porque eu tenho persianas mentais e as fecho sempre que acho necessário. Como ultimamente".


O livro aborda muito mais do que apenas uma história sobre irmãos, mas sim o relacionamento "conturbado" de uma família. A história inicia-se pela visão de Noah aos 13 anos. Introvertido, fechado, a única forma que ele expõe seus sentimentos e até os mais profundos é desenhando. Desenhos muito bem feitos e elaborados, sua mente é como um arco íris de cores. Seus desenhos enchem a mãe de orgulho e geram inveja na irmã, sem amigos seu único objetivo é fazer parte de uma famosa escola de artes.


Mas com a chegada de um novo vizinho que Noah começa a descobrir não somente como é ter um amigo, mas como é estar apaixonado.



“Encontrar sua alma gêmea é como entrar numa casa onde você já esteve – você vai reconhecer a mobília, os quadros na parede, os livros nas prateleiras, as coisas nas gavetas: você é capaz de se localizar no escuro se precisar”.

 Pelo ponto de vista de Jude aos 16 anos, diferente do irmão, tem popularidade, surfa e tem amigos que a "idolatra". Conhecemos uma menina, que apesar de ter muitos amigos e ser popular, possui mágoas e arrependimentos. Depois da perda da sua avó, que acreditava que a amava muito, e desde então, vem seguindo a vida com um livro de superstições deixado pela avó que acredita que irá curá-la de qualquer dor. Ela não tem o mesmo talento que o irmão, com desenhos, mas pelo contrário, Jude faz esculturas de areia. Diferente do irmão, Jude é insegura e não acredita nas suas próprias habilidades. 

Ao decorrer da história, percebemos como eles se completam e competem desde pequenos, e depois do acidente, abalando as estruturas da família, vemos o quanto a dor e o sofrimento os afasta um do outro.

"- Certo – diz ela. Árvores, estrelas, oceanos. Tudo bem.
- E o sol, Jude.
-Ah, claro – diz ela, surpreendendo-me completamente. – Eu te darei o sol.
- Tenho praticamente tudo agora! – digo. – Você é louca!"



  
No decorrer, vamos descobrindo alguns segredos sobre a família Sweetwine. E percebemos como conflitos e mentiras são capazes de destruir sonhos. Em meio a toda a tragédia, Noah e Jude perderam não somente uma pessoa querida, mas o encanto pela vida e pela a arte. Tornaram-se pessoas vazias e solitárias, sem desejo de continuar adiante. Precisando de ajuda e inspiração para seguir em frente. E enquanto Noah se fecha cada vez mais, não permitindo que Jude ultrapassasse as barreiras criadas por ele. Jude busca ajuda para esculpir uma nova escultura de pedra que pudesse agradar a mãe. 

“Às vezes quando se surfa, você pega uma onda e percebe que está “sem chão”, e de repente, sem aviso, você se vê caindo diante da parede de água.
Sinto-me assim”.


 No começo, até o meio do livro não achei bom o suficiente, não tinha conseguido me prender desde do inicio. Depois do meio pro fim, que a narrativa foi me cativando mais e fiquei com verdadeiro interesse de ler até o final.
Os capítulos narrados pela Jude no começo, não gostei, mas deu para ir levando até chegar no meio, gostei muito dos capítulos narrados pelo Noah. Na minha opinião deveria ter mais capítulos no ponto de vista dele.
 Depois os capítulos no ponto de vista da Jude ficam melhores e você começa a se interessar pela narração dela.

Apesar disso, Eu Te Darei o Sol, me fez questionar e compreender coisas na vida, gostei mais do livro do meio para o fim. Não é uma história grandiosa mas que ainda assim possui seus méritos e encantos, principalmente no que diz a respeito as relações interpessoais e todas as consequências diante de decisões e atitudes.

Recomendo para quem gosta de conflitos, relacionamentos, descobertas e um pouco de romance.

Classificação: *** (3/5)

Já leu? O que achou? Deixe seu comentário :D

Beijos e até a próxima!

- Lili

Um comentário:

  1. Oii tudo bom?

    Eu já ouvi falar muito desse livro e a capa dele acho linda. Mas ando sem paciencia para livros que só começam a ficar bons a partir da metade, isso me desanima demais

    Beijokas

    Alice

    naprateleiradealice.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnologia do Blogger.