Resenha: Para Continuar

Olá leitores! Tudo bem com vocês? 
Sumi um pouco aqui do blog por causa da correria para o fim do meu curso e acabei me afastando do meu espaço, deixando apenas as minhas resenhistas, Amanda e Lília atualizando vocês com suas últimas leituras. Espero que tenham gostado de cada uma, pois foram feitas com muito carinho pra vocês! 


Hoje eu trago a resenha da minha última leitura também, há exatos dois dias atrás. E quero mostrar (mais uma vez!) como os nossos autores nacionais estão lançando livros tão fantásticos. 

E para começar a apresentação dessa obra, gostaria de fazer uma pergunta que  fosse respondida com toda a sinceridade possível. "O que você faria se descobrisse que possui uma doença sem cura?". Agora, vamos conhecer essa história comovente, que te fará abrir os olhos e descobrir a resposta certa. ❤️


De início, somos apresentados ao nosso casal, embora os fatos sejam relatados com o ponto de vista de Leonardo. Um rapaz de apenas 20 anos, mas que já vivenciou momentos muito tristes em sua  vida, devida a sua grande e terrível doença, que o impede de fazer inúmeras coisas que todos os jovens sentem vontade em fazer. Léo foi diagnosticado com uma doença que possui o nome desconjuntado, Cardiopatia Dilatada Idiopática, que nada mais é que, uma insuficiência no músculo cardíaco para bombear o sangue de forma natural. 

Também somos apresentados à Ayako, uma jovem oriental que perdeu seus pais muito cedo e que hoje vive com seu avô. Eles moram em cima da própria loja, onde vendem todos os tipos de luminárias na rua da Liberdade. E é a partir daí que passamos a desvendar toda a magia que o livro pretende nos apresentar. Ayako é uma guardiã! Mais não posso entrar em muitos detalhes para não dar Spoillers :P 

Eles não tinham nada em comum e ainda por cima nenhuma chance de se conhecerem. Mas ao pegar o metrô, Leonardo se depara com uma garota com lindos olhos de mangá e não consegue mais parar de admirar. Ele pensa em inúmeras possibilidades de iniciar uma conversa saudável com ela mas nada vem a sua cabeça. Então, ele resolve sentar-se ao lado dela e perguntar o que ela está ouvindo, e é quando ela coloca o fone no ouvido dele, que o amor deles se inicia e começamos a torcer para dar certo. 

Esse foi o primeiro livro que li do Felipe Colbert, e não procurei nenhuma crítica relacionada à ele. E que ótima atitude que eu tive, pois acabei me apaixonando pela escrita e em como ele faz seus personagens se tornarem nossos melhores amigos. E inimigos. 


Classificação: 4/5 

E aí, o que achou? Dará uma chance ao livro? Deixe seu comentário! 


Beijos da Jú ❤️

{Novembro} Leitura Diária

Olá leitores, tudo bem com vocês? \0/ 
Hoje quero começar uma coluna nova aqui. Eu tenho um grande hábito de ler textos de todos os estilos em sites e páginas no Facebook, e ontem, encontrei um tão lindo e emocionante, que precisei dar um jeito de apresentar à vocês. 

O Leitura Diária vai funcionar da seguinte forma: Divulgarei o melhor texto lido na semana. E assim, podemos trocar ideias, ou até mesmo abrir espaço para vocês poderem enviar seus textos. Já imaginou ver seu texto/poesia sendo lido por diversas pessoas? Então, conte com a gente! :) 

E agora chega de papo e vamos ao texto escolhido para inauguração da nova coluna do blog. Espero que gostem! ❤️

"Namore uma garota que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Ela também tem problemas com o espaço do armário, mas é só porque tem livros demais. Namore uma garota que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca desde os doze anos.
Encontre uma garota que lê. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido na bolsa. Ela é aquela que olha amorosamente para as prateleiras da livraria, a única que surta (ainda que em silêncio) quando encontra o livro que quer. Você está vendo uma garota estranha cheirar as páginas de um livro antigo em um sebo? Essa é a leitora. Nunca resiste a cheirar as páginas, especialmente quando ficaram amarelas.

Ela é a garota que lê enquanto espera em um Café na rua. Se você espiar sua xícara, verá que a espuma do leite ainda flutua por sobre a bebida, porque ela está absorta. Perdida em um mundo criador pelo autor. Sente-se. Se quiser ela pode vê-lo de relance, porque a maior parte das garotas que leem não gostam de ser interrompidas. Pergunte se ela está gostando do livro.

Compre para ela outra xícara de café.
Diga o que realmente pensa sobre o Murakami. Descubra se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entenda que, se ela diz que compreendeu o Ulisses de James Joyce, é só para parecer inteligente. Pergunte se ela gosta ou gostaria de ser a Alice.
É fácil namorar uma garota que lê. Ofereça livros no aniversário dela, no Natal e em comemorações de namoro. Ofereça o dom das palavras na poesia, na música. Ofereça Neruda, Sexton Pound, cummings. Deixe que ela saiba que você entende que as palavras são amor. Entenda que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade mas, juro por Deus, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco como seu livro favorito. E se ela conseguir não será por sua causa.

É que ela tem que arriscar, de alguma forma.
Minta. Se ela compreender sintaxe, vai perceber a sua necessidade de mentir. Por trás das palavras existem outras coisas: motivação, valor, nuance, diálogo. E isto nunca será o fim do mundo.

Trate de desiludi-la. Porque uma garota que lê sabe que o fracasso leva sempre ao clímax. Essas  garotas sabem que todas as coisas chegam ao fim.  E que sempre se pode escrever uma continuação. E que você pode começar outra vez e de novo, e continuar a ser o herói. E que na vida é preciso haver um vilão ou dois.

Por que ter medo de tudo o que você não é? As garotas que leem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem. Exceto as da série Crepúsculo.

Se você encontrar uma garota que leia, é melhor mantê-la por perto. Quando encontrá-la acordada às duas da manhã, chorando e apertando um livro contra o peito, prepare uma xícara de chá e abrace-a. Você pode perdê-la por um par de horas, mas ela sempre vai voltar para você. E falará como se as personagens do livro fossem reais – até  porque, durante algum tempo, são mesmo.
Você tem de se declarar a ela em um balão de ar quente. Ou durante um show de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Ou pelo Skype.
Você vai sorrir tanto que acabará por se perguntar por que é que o seu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Vocês escreverão a história das suas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos mais estranhos ainda. Ela vai apresentar os seus filhos ao Gato do Chapéu [Cat in the Hat] e a Aslam, talvez no mesmo dia. Vão atravessar juntos os invernos de suas velhices, e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto você sacode a neve das botas.

Namore uma garota que lê porque você merece. Merece uma garota que  pode te dar a vida mais colorida que você puder imaginar. Se você só puder oferecer-lhe  monotonia, horas requentadas e propostas meia-boca, então estará melhor sozinho. Mas se quiser o mundo, e outros mundos além, namore uma garota que lê.

Ou, melhor ainda, namore uma garota que escreve."

—Rosemary Urquico 


E então, o que acharam? Se tornou o meu favorito! 
Até a próxima com mais um Leitura Diária. ;D

Beijos da Jú ❤️

Resenha: Como Se Apaixonar


     Como se Apaixonar ,é narrado pela personagem principal Christine, que conta a história de suas improváveis situações que por vezes a deixaram em saia justa. Christine tem costumes incomuns e tenta seguir a vida com livros de auto ajuda, um tema para cada coisa, uma lição para cada situação. Em seu estabelecimento de trabalho, ela tem uma estante com vários livros de auto ajuda, organizados por títulos. Ela acredita ser capaz de ajudar ao mundo através de seus conhecimentos- concebidos pela leitura- , mas não consegue resolver seus próprios.

“Às vezes, quando você vê ou vivencia algo muito real, fica com vontade de parar de fingir. Você se sente um idiota, um charlatão. Fica com vontade de afastar-se de tudo o que é falso, seja algo inocente e inofensivamente falso ou algo mais sério; como seu casamento. Isso aconteceu comigo.”

Após sua tentativa falha em impedir um homem de suicidar-se, Christine resolve tomar uma decisão séria em sua vida, ela leva ao término seu casamento, pois acreditava que ele não a fazia feliz. Por mais que tentasse fazer as coisas certas, acabou magoando-o , e sofreu retaliações por isso. Durante seu processo de separação ela conhecerá um rapaz lindo, aos olhos de qualquer mulher, forte, atraente, mas a situação que os uni, não a deixa perceber total beleza que ele tem, a única coisa que ela quer é que ele suba, e esteja em segurança.

"Eu estava chorando mais agora, soluçando sem controle, meus ombros pulando para cima e para baixo, meus braços ainda enrolados no peito dele, segurando como se quisesse salvar minha própria vida. "

Adam Besil, o galã que está prestes a tirar sua vida, é salvo por uma mulher que nunca tinha visto na vida. Mas o fez parar e pensar que talvez as coisas pudessem dar certo. Ela nunca o vira, por que queria que ele repensasse a vida? Mas como todos precisam de chance, Adam concedeu a ela a chance. E um prazo : duas semanas.
Christine teria duas semanas para mostrar a Adam que a vida pode ser uma beleza, que você pode superar as mágoas, os rancores, o amor perdido, as amizades tiradas e as decepções familiares. Apenas duas semanas para convencer alguém a viver. Uma grande responsabilidade…

O livro tem um encanto, em cada página mostra como Christine luta pela vida de alguém que ela nem se quer sabia de onde vinha, mostra como Adam vai reagindo a cada etapa, cada demonstração de “vida”. E como a vida de dois desconhecidos pode ajudá-los a superar seus próprios problemas. Merecem destaque, também, o pai e as irmãs de Christine, que cativam o leitor principalmente por seu peculiar humor.


 Bom leitores, espero que tenham gostado. E que leiam o livro. É um livro bem emocionante, mostra como as escolhas certas fazem a diferença, e que precisamos sempre sermos honestos com todos a nossa volta. E com nós mesmos.

Classificação: 4/5

E aí, o que acharam? Deixe seus comentários! Beijos ❤️

Divulgado pôster oficial da série de TV "Shadowhunters"

Boa noite leitores! Tudo bem com vocês? 

Eu não sei se tem muitos fãs dessa saga aqui (imagino que sim), mas sei que todos já conhecem, então, vejam só o que acabou de ser divulgado! 


Isso mesmo! O pôster oficial da série de TV "Shadowhunters", baseada em Instrumentos Mortais. ❤️

E então, o que vocês acharam? Eu estou DOIDA para assistir! 

Beijos e até a próxima. ❤️

Lançamentos de Novembro/2015 da Editora Novo Conceito

Heeyy Leitores, tudo bom?

Venho compartilhar com vocês os lançamentos da NC, que estão um máximo! Irá surpreender a todos neste fim de ano. Eu estou doida para ler esses lançamentos! E aí preparados!?

O Bangalô

Verão de 1942. Anne tem tudo o que uma garota de sua idade almeja: família e noivo bem-sucedidos.

No entanto, ela não se sente feliz com o rumo que sua vida está tomando. Recém-formada em enfermagem e vivendo em um mundo devastado pelos horrores da Segunda Guerra Mundial, Anne, juntamente com sua melhor amiga, decide se alistar para servir seu país como enfermeira em Bora Bora. 

Lá ela se depara com outra realidade, uma vida simples e responsabilidades que não estava acostumada. Mas, também, conhece o verdadeiro amor nos braços de Westry, um soldado sensível e carinhoso.

O esconderijo de amor de Anne e Westry é um bangalô abandonado, e eles vivem os melhores momentos de suas vidas... Até testemunharem um assassinato brutal nos arredores do bangalô que mudará o rumo desta história.

A ilha, de alguma forma, transforma a vida das pessoas, e este livro certamente transformará você.


Esperando Por Doggo

Dan achava que tinha uma vida feliz com Clara, mas, de uma hora para outra, ela desaparece inesperadamente de sua vida, deixando para trás apenas uma carta de despedida e um cachorro. A pequena criatura é incomum e sequer tem um nome definitivo, ele é simplesmente chamado de Doggo. 

Agora, Dan tem a missão de devolver Doggo, e, ao mesmo tempo, encontrar um novo emprego. A primeira missão parece ser fácil, a segunda, nem tanto.

Com o passar dos dias, Dan começa a desfrutar da companhia de Doggo e não tem coragem de abandoná-lo. 

De forma singela, mas significativa, a presença do pequeno cão ajuda àqueles que estão ao seu redor. Doggo acaba tornando-se muito mais que um amigo de quatro patas, transforma-se em uma verdadeira fonte de inspiração para o trabalho e para a vida de Dan. 


Esperando Doggo não é só um livro sobre um cachorro. É um livro sobre o poder de uma verdadeira e sincera amizade.

Todos Os Nossos Ontens 

O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo?
Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse?
Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem?

Em um futuro não tão distante, a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas. 

O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo.


O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo...


Espero que tenham curtido esses lançamentos!

Beijos e até a próxima!
-Lili

Resenha: Soldier - Leal até o Fim

Tom Ryder é convocado para lutar na Primeira Guerra Mundial. Seu irmão Stanley fica desamparado. Sua mãe havia morrido recentemente e o seu pai, Da, enlouqueceu, entrou numa depressão profunda.
A única alegria do garoto passou a ser os filhotes de Rocket, a cadela premiada que é o orgulho da família. Porém, ao descobrir que Rocket teve filhotes mestiços, Da fica furioso e ameaça afogar os cãozinhos, por não serem de raça pura.

Stanley cuida dos filhotes e se apega muito a um único macho da ninhada e da o nome de Soldier. Mas Da está mais ainda frio e numa manhã quando Stanley acorda descobre que Soldier sumiu e culpa o pai pelo ocorrido.

"Se um cachorro o ama, ele vai fazer qualquer coisa por você. Se ele te ama, ele vai sempre voltar pra você".

Com raiva e dor ele foge de casa, e mentindo sua idade se alista nas tropas inglesas, decidido ir para longe do pai e encontrar seu irmão Tom, se torna um adestrador de cães do exercito. Somente o amor incondicional pelos animais será capaz de sobreviver à horrores da guerra e a frieza dos campos de batalha. E o destino vai colocar no caminho de Stanley um amigo que irá lutar ao seu lado.


****
A narrativa do livro é em terceira pessoa. A autora mescla informações históricas com muita facilidade e sensibilidade, gostei disso.

Para quem ama cães é claro que o livro já chama atenção só pela capa e sinopse. Soldier é um cão encantador, e não tem como não gostar dele e a forma como as coisas acontecem te fazem querer continuar.

Até que gostei um pouco, apesar do enredo não ser bem o meu estilo literário.

Soldier é um livro que fala sobre amizade, lealdade e coragem. E recomendo para todos que gostem de cães e relatos históricos durante a Primeira Guerra Mundial.

Classificação: *** (3/5)

E aí já leu!? O que achou!? Deixe seu comentário!

Beijos e até a próxima!
- Lili
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnologia do Blogger.