Resenha: Um mais Um

Olá leitores, hoje vou contar a vocês a belíssima história de uma mãe solteira que faz de tudo por seus filhos, até dirigir um carro sem o mínimo de requisitos legais para circular, a aceitar carona de um estranho. Enfim, contarei a história de Jess Thomas, seus filhos,um cachorro, e um repugnante milionário- Ed Nicholls.





  Fazendo faxinas pela manhã e à noite trabalhando num pub é assim que Jess tenta sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos.
Há dois anos Marty foi embora de casa e nunca mais voltou, nem a ajuda com as despesas de seus filhos. 
Com todos os seus problemas ela tenta se manter uma adulta responsável e sensata, dizendo-os o certo e o errado, e sempre tentando ser essa adulta responsável. 


***

Nicky é um adolescente gótico e mal-humarado que vive apanhando dos colegas por ter um jeito diferente do que a sociedade julga 'normal'.
Ele tem seus traumas e medos, mas não tem com quem se abrir, por mais que Jess se esforce ao máximo para tê-lo por perto, ele foge. Não consegue se abrir com ela como deveria. 
A única pessoa que ele teve como 'mãe-pai' foi Jess;A única pessoa que o acolheu quando ainda um menino, foi ela. Que, do jeito dela, deu amor, e carinho. Mas ainda assim, ele sentia falta do pai. Um homem que nunca lhe deu atenção. E nunca, em seus pensamentos, daria.

Enquanto Nicky tinha todos os seus estranhos problemas que perturbavam a mente de Jess, havia Tanzie, o prodígio da matemática. Sua menininha, aquela criança doce e amável que tinha medo do ensino médio da escola local, pois via o que acontecia com seu meio-irmão. A ideia de por os pés naquele colégio aterrorizava suas noites de sono.

Tanzie ganhou uma bolsa de estudos para uma escola particular, o que seria maravilhoso, pois sua capacidade estava no nível do colégio, ela podia e queria estar naquele colégio, mas suas condições financeiras não corresponderam com a diferença que Jess teria de pagar. Mas como Tanzie era uma aluna incrível na matérias, seu professor de matemática conversou com sua mãe e disse sobre uma solução..



Dali uns dias  seria disputada, na Escócia, uma Olimpíada de Matemática, os 3 primeiros ganhadores teriam uma generosa recompensa.O que ajudaria,e muito,a vida de Jess e seus meninos.

"Sra. Thomas, os prêmios são quinhentas libras, mil libras e cinco mil libras."

Apesar de ter se animado com a notícia,o prazo para St. Anne's se esgotava no dia seguinte, e ela não teria o dinheiro para fazer a matrícula. A menos se ela utilizasse o dinheiro da noite passada... mas usar aquele dinheiro seria "roubo". Mas ajudar sua filhinha era importante para ela, pela felicidade de Tanzie seria um sacrifício valido.

"Devolveria o dinheiro. Cada centavo.

  Mas, naquele momento, não tinha escolha."
***
Marty teve um relacionamento com uma mulher que se drogava mais que tudo, e desse relacionamento nasceu Nicky. Quando se casou com Jess, ele recomeçou a vida, esquecendo que já tinha outro filho. Enquanto isso Nicky teve uma infância bem difícil, a mãe não ligava pra ele e sempre estava com a pior galera. Na escola ia de mau a pior, com isso a assistente social procurou o pai, e com a permissão de Jess, o enteado passou a morar com eles.

Marty nunca parou em um emprego fixo, então o sustento da casa não podia contar com ele. Seu último emprego foi como taxista, quando o perdeu, Marty entrou numa depressão que assombrava a todos na casa. Com isso, Jess achou que seria bom ele passar um tempo na casa da mãe. Bom, já faz 2 anos que ele se foi e não voltou. 
E nunca manda dinheiro para ajudar os filhos, sempre diz que 'as coisas para mim ainda não melhoraram Jess'.

"Fazia trezentos e quarenta e oito dias que não via o pai. Fazia quatrocentos e trinta e três dias que não via a avó."

Quem mais sofreu com a separação dos pais foi a doce e pequena Tanzie, sentia falta da figura paterna dentro de casa, mas sabia que ele não voltaria. Por mais que ela soubesse disso, doía. Por outro lado, Nicky não dava muita bola, tinha raiva do pai e sempre dizia a mesma coisa para Jess "meu pai é um babaca."



Quando o Marty foi embora, Jess passou terríveis noites acordada com medo de que a família fosse assassinada depois que descobrirem que o homem da casa havia ido embora. Para acabar com isso, eles pegaram um cachorro no abrigo de animais.

"Brilhante com crianças, um cão de guarda fantástico, foram as garantias do centro de resgate."
Porém, com o passar do tempo ela só constatou que Norman era basicamente uma máquina enorme de comer e fazer cocô.

 ***

Ed Nicholls é um milionário e gênio da computação, tem uma empresa com seu melhor amigo de faculdade Ronan. As coisas iam bem para ele, até..

Ed não tem contato com sua família, embora sua irmã viva ligando insistindo que ele visite os pais. Foi casado, mas sua ex-mulher não era nada doce. E no divórcio tirou tudo dele, e ainda tinha a cara de pau de ligar para ele e pedir que ele concerte coisas em seu apartamento; mesmo estando separados há meses.

Depois de passar um momento sem ninguém, uma paixão da faculdade reaparece e eles se envolvem. Acontecesse que essa mulher-Deanna Lewis, não era nada do que ele imaginou. E para se livrar dela ele acabou dizendo coisas secretas sobre sua empresa, seu intuito foi ajudar a ela, e se livrar dela. Mas quando isso caiu nos ouvidos da Investacorp, eles não pensaram pela mesma linha de raciocínio de Ed.
Aconselhado por seu Advogado, Ed resolve ir refugiar-se em sua casa de praia.

***

O encontro entre Ed Nicholls, Jess, seus filhos e seu cachorro é algo constrangedor para ela, e peculiar para ele. 
Comovido pela situação que Tanzie se encontrara naquela noite, Ed juntou o útil ao agradável e ofereceu uma carona a família em seu luxuoso carro até a Escócia. 

"Ed Nicholls levou uns quinze minutos após ter saído de Danehall para se perguntar que diabo havia acabado de fazer. Simplesmente concordara em transportar a sua faxineira enfezadinha, seus dois filhos esquisitos e um cachorro enorme e fedorento até a Escócia. No que ele estava pensando, afinal?"
A parir do capítulo 11 começa uma aventura incrível: um milionário com problemas, uma faxineira/mãe fazendo o possível e o impossível para ver a felicidade de sua filha, uma menina que via a matemática em tudo, um adolescente mal-humarado e machucado que só sabia mexer no celular(enquanto ele ainda tinha carga) e um cachorro babão e fedido que estava acabando com o forro de couro do carro luxuoso de Ed.
Foi uma viagem muito demorada, até porquê, Tanzie tinha problemas e, carro + velocidade+estomago eram uma junção que sempre a fazia enjoar.

Demorou um tempo para que eles fossem se entendendo,e quando isso ocorreu, quando cada um dentro daquele carro, que por semanas passou a ser a casa deles, foi só alegria. 

 ***

Sou suspeita para falar dos livros da Jojo, amo de paixão cada livro que ela escreve, já li a maioria de seus livros(e farei resenha sobre cada um, óbvio rs). 
Seus livros tem um encanto, uma forma diferente de atrair o leitor; Ele te induz a sentir o que cada personagem sente, dor, felicidade, amor. A intensidade de suas emoções saem das palavras e te tocam de uma forma inexplicável.
Fui marcada por muita de suas histórias, como se fossem reais. 

Classificação: 5/5
-Amanda

Resenha: Uma Carta de Amor

Olá leitores, tudo bem?  Contarei a vocês hoje sobre mais uma história emocionante e apaixonante de Nicholas Sparks. Vamos lá....

***

Há três anos, a colunista Theresa Osborne se divorciou do marido após ter sido traída por ele. Desde então, não acredita no amor e não se envolveu seriamente com ninguém.

Convencida pela chefe de que precisa de um tempo para si, resolve passar férias em Cape Cod. Durante a semana de folga, depois de terminar sua corrida matinal na praia, Theresa encontra uma garrafa arrolhada com uma folha de papel enrolada dentro.

Ao abri-la, descobre uma mensagem que começa assim:"Minha adorada Catherine, sinto sua falta,querida, como sempre, mas hoje está sendo especialmente difícil porque o oceano tem cantado para mim, e a canção é a da nossa vida juntos."

Comovida pelo texto apaixonado, Theresa decide encontrar seu misterioso autor, que assina apenas "Garret". Após uma incansável busca, durante a qual descobre novas cartas que mexem cada vez mais com seus sentimentos, Theressa vai procurá-lo em uma cidade litorânea da Carolina do Norte.

Quando o conhece, ela descobre que há três anos Garret chora por seu amor perdido, mas também percebe que ele pode estar pronto para se entregar a uma nova história. E, para sua própria surpresa, ela também. 

Unidos pelo o acaso, Theresa e Garret estão prestes a viver uma história comovente que reflete nossa profunda esperança de encontrar alguém e sermos felizes para sempre.


Theresa Osborne uma jornalista que residia em Boston, divorciada e com um filho pré-adolescente, o que assustou muito dos homens com que ela tentou ter um relacionamento. Até o último dizer que não queria uma mulher com filho.
Sabendo da pressão que sua vida estava sua chefe resolveu dar a ela um tempo de férias, aproveitando também que Kevin estaria com David, seu pai.
Ao chegar a Cape Cod, onde ficaria com Deanna e seu marido, amigos dela, Theresa foi fazer sua caminha matinal e encontrou algo que fez com que seus olhos marejassem.

Minha adorada Catherine, Sinto sua falta, querida, como sempre, mas hoje está sendo especificamente difícil porque o oceano tem cantado para mim, e a canção é da nossa vida juntos. Quase posso sentir você ao meu lado  enquanto escrevo essa carta, assim como o perfume de flores silvestres que sempre me faz lembrar você.
[...]
 E com o coração partido eu a vi desaparecer aos poucos. Esforcei-me para recordar tudo daquele momento, tudo de você. [...]Garret
Ao chegar em casa, Deanna percebe que Theresa estava chorando, e ambas conversam sobre a carta, e Deanna diz que ela deveria publicar a carta em sua coluna da semana. Sem dar os nomes das supostas pessoas, afinal, as pessoas precisavam de uma injeção de amor e nada mais amoroso do que aquela carta. O amor fluía em cada palavra escrita por aquele homem, um eterno apaixonado.
Convencida por sua amiga, Theresa publicou a carta.

Passado uns dias, Theresa recebeu um telefonema de uma mulher alegando ter uma carta de Garret para Catherine, para ter certeza disso, ela pede que esta pessoa lhe mande uma cópia; Depois dessa carta aparecer, Theresa faz umas buscas e descobre que um professor possuía também uma carta de Garret.
 No fim, ela possuía 3 cartas de. Apaixonada pelas cartas, talvez até pelo próprio Garret, Theresa decide viajar e ir a procura dele.
***

Garret Blake é um professor de mergulho e dono de uma loja, onde passa a maior parte do tempo evitando voltar para casa e para os pensamentos que lhe pesam a mente.
Havia perdido sua mulher há 3 anos, e tentava se reconfortar com os afazeres da vida e com a ajuda de seu pai, que também já tinha perdido sua esposa, e ninguém melhor que ele para entender a dor do filho.
Nos dias que a saudade era sufocante, ele escrevia cartas para sua amada e jogava-as ao mar.


O encontro de Blake e Theresa foi algo 'calculado' por ela, embora sua intenção principal fosse fazer uma matéria sobre suas cartas, não foi bem isso que aconteceu. Ela acabou se interessando por aquele pessoa distante e descontraída que existia dentro dele. 
Uma das coisas, além das cartas, que chamou sua atenção foi o barco que ele e Catherine reconstruíram e deram o nome de Happenstance, um veleiro de madeira.

Construído em 1934- Restaurado em 1991

Tiveram uma noite muito agradável a bordo do Happentance, ambos falando das coisas que gostavam, Theresa lhe contou de seu filho, mas em momento algum ele comentou sobre Catherine ou as cartas e ela, em momento algum, contou sobre ter lido 3 de suas cartas destinadas a sua esposa.



A história de Theresa e Garret é narrada ora por ele, ora por ela, e ambos vão criando uma afinidade durante o período que ela passa na cidade dele e, óbvio, o período que Kevin está com o pai na Califórnia. A afinidade que é criada enrte Kevin e Blake comove Theresa, e por um tempo, eles até parecem uma família.. Porém, o romance que é traçado por eles sofre uma terrível reviravolta.

***
Uma Carta de Amor tem um final muito triste e uma história encantadora. Um amor duradouro que permanece até a morte, e um outro que surge para mostrar que recomeçar é preciso e possível. 


Espero que vocês gostem e se já leram, compartilhe sua opinião.
-Amanda
Classificação: 3/5

Resenha: O guardião

Olá leitores, como estão? Espero que bem rs.. Tem tempo que não posto no blog, mas acontece que os estudos atolam um pouco minha cabeça, e como estou cheia de histórias para contar a vocês, tirei o dia de hoje para escrever sobre cada uma delas. Mas começarei com um livro da Arqueiro, que relata uma belíssima história de superação, amor, destino, proteção e uma jogada diferente do estilo que muitos não estão acostumados do escritor Nicholas Sparks.




Quarenta dias após a morte de seu marido, Julie Barenson recebe uma encomenda deixada por ele. Dentro da caixa, encontra um filhote de cachorro dinamarquês e um bilhete no qual Jim promete que sempre cuidará dela.

Quatro anos mais tarde, Julie já não pode depender apenas da companhia do fiel Singer,o filhotinho que se tornou um cachorro enorme e estabanado.

Depois de tanto sofrimento, ela enfim está pronta para voltar a amar, mas seus primeiros encontros não são nada promissores. Até que surge Richard Franklin, um belo e sofisticado engenheiro que a trata como uma rainha.

Julie está animada como havia tempo não se sentia, mas, por alguma razão, não consegue compartilhar isso com Mike Harris, seu melhor amigo. Ele, por sua vez, é incapaz de esconder o ciúme que sente dela.

Quando percebe que seu desconforto diante de Mike é causado por um sentimento mais forte que amizade, Julie se vê dividida entre esses dois homens. Ela em que tomar uma decisão. Só não pode imaginar que, em vez de lhe trazer felicidade, essa escolha colocará sua vida em perigo.

O guardião contém tudo o que os leitores espera de um romance de Nicholas Sparks,mas dessa vez ele se reinventa e acrescenta um novo ingrediente à trama: páginas e mais páginas de muito suspense.


Julie Barenson- Após perder seu marido Julie contava apenas com a proteção de seu cão, o último presente de seu falecido companheiro, é a tentativa dele de lhe dizer que ela sempre estará protegida.
Ela se fechou para os amores, para as paqueras, dedicava-se apenas ao trabalho como cabeleireira e ao seu fiel amigo, Singer-o cão. Com o passar do tempo, ela se permite conhecer outros homens, no entanto, Singer não fica contente com a decisão de sua dona. Desde que ganhou seu cão, ele nunca a deixou, nunca deixou de se importar e protegê-la.
Com um encontro mais frustrado que outro, a cabeleireira começa a desanimar. 

Mike e Henry são irmãos e amigos do falecido marido de Julie. Henry é casado e tem filhos, por outro lado Mike está solteiro. Depois da morte de Jim, Mike se aproximou de Julie e tornou-se um grande amigo, mas, surge algo mais que amizade entre os dois, porém, ambos insistem em ignorar o que está óbvio. 

Richard Flankin é um engenheiro que se apaixona por Julie após ter seu cabelo cortado no salão que a moça trabalha. Ele a convida para um divertido encontro, e ela decide dá uma chance ao rapaz. Acontece que seu cão não se dava bem com Richard, e sempre o atacava quando ele ia deixá-la em casa, ou quando passava por lá. 
Ele fazia de tudo para que ela se sentisse bem, fazendo de tudo para agradá-la, presenteando-a sempre, e isso tornou o relacionamento em algo exaustivo para Julie. Após receber de Richard um medalhão de presente, o relacionamento dos dois sofre grandes mudanças, pois ele se chateia com a decisão dela de não usá-lo durante o trabalho.

Enquanto isso, Mike segura seus sentimentos por Julie no intimo de sua alma, o rapaz tem medo de que se declarando para ela, tudo entre eles acabe. Apaixonado ou não, ele começa a desconfiar das atitudes estranhas de Richard, mas teme em comentar com ela, pois ela poderá dizer que é ciúmes. 

Julie decide terminar seu relacionamento sufocante com Richard, pois percebe que não sente nada por ele. A moça então resolve dar uma chance ao seu amigo, pois sabe de seus sentimentos por ela, e de sua falta de coragem também. 
Revoltado por ter sido rejeitado Richard começa a perturbar a vida de Julie, mantendo-se sempre por perto da jovem, ligando nas madrugadas, atrapalhando seu mais novo relacionamento, e sempre fazendo "rondas" por sua casa madrugada a fora. 

***

Esse com certeza é um dos livros mais diferentes de Sparks, pois ele trabalha com um Killer, muito diferente de seus outros livros. No começo, a leitura não atrai muito, é uma coisa clichê de todos seus livros, mas, quando o clímax vai se aproximando nota-se uma mudança, uma narração mais aflita, mais quente, uma narrativa incomum em seus livros. 
Uma das perguntas que se passou pela minha cabeça, e tenho certeza que passará na cabeça de quem ler esse livro é o destino de Julie e Mike.. será que eles ficarão juntos?; É estranho Richard fazer a cabeça da polícia e sair em pune, ou será que a policia descobrirá sua real identidade e o prenderá?
Como ficará Singer?
Bom, posso afirmar que minhas respostas foram respondidas.. rs.


Classificação: 3/5
-Amanda


Resenha: Anjos e Demônios

Olá leitores, como estão? Bom, andamos um pouco parados mas saibam que as resenhas estão sendo feitas, com muito carinho!
A resenha de hoje será sobre o livro Anjos e Demônios do queridíssimo Dan Brown, aqui no Brasil esse livro foi publicado pela editora Sextante.


Anjos e Demônios narra a primeira aventura de Robert Langdon, professor de Simbologia da Universidade de Harvard, que em uma madrugada é despertado de seu sono ao receber um telefonema de Maximiliam Kohler, diretor-geral do CERN. Robert é convidado a analisar o cadáver de Leonardo Vetra, um fisico que fora assassinado misteriosamente, e em seu peito há um misterioso símbolo marcado a fogo. Juntamente ao pedido veio a urgência da presença de Robert na Suíça, se possível naquele mesmo dia. Para instigar mais ainda, ao desligar o telefonema Robert é surpreendido com uma mensagem por fax, nela contem a imagem do local do assassinato juntamente com o cadáver, possuindo o ambigrama.


Ao chegar no Centro de Pesquisas Robert precisa passar por uma checagem e ao terminar se encontra com o Diretor-geral onde  procura lhe explicar o que significava o ambigrama e também saber o que ou quem poderia ter assasssinado o físico. E Por que.
O ambigrama é associado aos Illuminati, antiga organização secreta, que havia muito tinham sifo considerado extinto. Mas com um assassinato desses, fica obvio que eles regressaram, o que não se sabe, é o motivo disto.

Acompanhado de Vittoria Vetra, filha do falecido físico, Robert parte para uma empolgante caçada ao esconderijo dos então ressurgidos Illuminati, percorrendo cripstas, igrejas e decifrando os enigmas históricos.  Para complicar mais ainda Vittoria descobre que a pesquisa em que ela e seu pai trabalharam durante anos,  foi roubada.
 O que deixa a caçada mais empolgante é saber que os Illuminatis possuem algo tao devastador, tão ameaçador a cidade do Vaticano.

Com isso Robert apressa seus planos, suas buscas e desempenha inteiramente a decifrar o que esta diante de seus olhos. Pois agora eles correm contra o tempo. A cidade do Vaticano corria perigo, ha meia noite os Illuminatis explodirão uma bomba que mandará para os ares a maior organização religiosa do mundo.

Será que Robert e Vittoria conseguirão salvar a todos? Será que os sinais serão decifrados rápidos? Ou será que a cidade do Vaticano será devastada?


 Anjos e Demônios traz uma experiencia de aventura inigualável, Dan Brown mostra como o conhecimento histórico e a ciência se unem de uma forma unica e esplendorosa para desvendar um mistério intrigante.

Dan Brown não para por ai com Robert Langdon, as próximas aventuras desses dois vem a ser contada nos próximos livros: O Código da Vinci, Símbolo Perdido e Inferno (teremos resenhas sobre cada um deles, até porque, temos que acompanhar nossa querido profª Robert Langdon nas suas próximas aventuras.).

Classificação: ( 5/5)
-Bjs, Amanda

{Fevereiro} Leitura Diária

Oi oi gente! Tudo bom? Como foram as férias? Passou muuuito rápido, né  </3 
Eu no entanto, já terminei, e agora, estou pensando em começar uma faculdade. Mas vou deixar para falar mais sobre isso em um post específico. :D 

Hoje é dia de Leitura Diária, e como sempre, compartilho com vocês o texto que selecionei durante a semana. 

Espero de coração que vocês gostem, e se algum de vocês tiverem um texto que queira compartilhar, é só deixar um recadinho nos comentários e entraremos em contato! :) 


"Eu não errei com você, acho que errei por você. Acho que estou um pouco magoada, mas vou ficar bem! Perdi a conta de quantas vezes eu fiquei esperando você me responder. De quantas vezes eu tentei me culpar por está sendo grudenta demais e me entregando demais. Engoli minhas incertezas para não parecer chata. Eu ingnorei todos que diziam que isso daria errado, eu confiei em pessoas que nunca deveria ter confiado. E no final, acho que ganhei uma puta mágoa. Seu coração não tem espaço para mim, nunca teve. Mesmo assim eu continuei, eu fiquei, eu permaneci. Eu tentei sim e tentaria outra vez sem pensar duas vezes, porque não queria ter a angústia de nunca ter tentado. Não fui eu que sair perdendo, eu tenho minha vida, as minhas amigas loucas e meus livros. Eu não preciso de um falso amor. Eu nunca precisei de um falso amor. Esse tipo de decepção não mata; Ensina. Faz crescer. Amadurecer. Eu não me arrependo e para mim tudo foi de verdade. Posso está enganada mas acho que você não vale nem esse texto. Obrigada por ter me feito feliz por algum tempo."
— Lara Fabian. 
Publicado no Facebook pela página "Sei lá, vi no Tumblr" 

 Foi isso gente, até a próxima, beijos da Jú ❤️

Resenha: Os 13 Porquês

Olá leitores.. Alguém aí já se apaixonou por um suicida? Pergunta estranha, né? Mas é isso mesmo que leram. Como perceber que uma pessoa normal, aquela na qual seu coração dispara, está com uns pensamentos bem estranhos?
Mas foi isso que aconteceu com Clay Jensen.

Para saber mais.. Aperte o Play. ►
Clay Jensen é um jovem do ensino médio de poucos amigos, prefere o conforto da sua casa, às festas de arrombas que seus colegas de classe sempre dão. Entretanto, em uma noite, uma festa, ele vai. Mas vai com um juramento..
"se Hannah Baker aparecesse, eu ia conversar com ela. Estava na hora. [...] Aí, ela entrou, e eu pirei..."

Hannah Baker, além da queda de muitos meninos- incluindo Clay Jensen-, quem era ela? Uma menina que mal chegou na cidade e já conquistara tamanha reputação..infelizmente uma péssima reputação.

Mudada de uma cidade cheia de amigos, para uma cheia de desconhecidos, onde sua única conhecida- e vizinha-, Kat, estava de partida. Como viver assim, gente?
A primeira coisa que vem a mente: Fazer novos amigos. Estou certa?
Bom, foi nisso que Hannah pensou. Porém.. não foi assim que sua história se desencadeou.

13 pessoas. 13 histórias. 13 porquês

Em sua fita de "despedida", Hannah cita 13 motivos para seu suicídio, 13 pessoas com histórias intrigantes , outras picantes, e aquelas inúteis; inúteis para aqueles que praticaram o ato. Mas.. e para Hannah? Eram inúteis? Ou a magoavam?


Para sabermos ao certo, vou contar um pouco sobre essas 13 pessoas..

O primeiro a se deparar com uma caixa de papelão cheia de fitas, numeradas de 1 ao 7, e de cor azul, de cada lado se viam as letras A e B, foi Justin Foley. Por que Justin seria o primeiro? O que sua história tem de tão especial assim, para ele ser o primeiro? Simples, ele foi o começo da situação, ou como Hannah chamava, bola de neve.

 Antes de se mudar, Kat apresentou a Hannah dois rapazes: Zach e Justin. Com o passar do tempo, Hannah acabou se apaixonando por Justin, que se portou como um rapaz muito bonzinho. Quando finalmente ele demonstrou que sentia algo por ela, ele a chamou para um encontro.
Como seria um primeiro beijo?  Toda menina sonha com isso, não é? E não foi diferente para Hannah. Ela sonhou e quando realizou não podia ter sido de maneira  melhor. Correu tudo perfeitamente como ela sonhara. Naquele parque, perto daquele escorrega.. tudo perfeito.
Acontece que Justin não é um cara legal; ele não foi um bom rapazinho e saiu espalhando boatos  pela escola (af..odeio boatos). Daí surgiu uma pequena faminha para Hannah.

A próxima pessoa a receber a caixa, seria Alex Standall.
Em uma aula normal, uma lista é passada de mesa em mesa, cochichos são dados, risadinhas abafadas; mas nada na mesa de Hannah. Por que ela não poderia participar? Ah, mas ela estava.. não da forma que talvez quisesse. Não resistindo a curiosidade, ela se virou para carteira de um dos colegas e avistou, mesmo que de cabeça para baixo: CLASSE DO PRIMEIRO ANO: QUEM É GOSTOSA/QUEM NÃO É.
E adivinhem só, o nome de Hannah estava fazendo sucesso no lado das "gostosas"; demais, né? Bom, não foi o que ela achou, ainda mais tento aqueles boatos que Justin lançou no ar, e principalmente pelas repercussões que esses dois atos teriam.

"Precisam de um exemplo? Ótimo. B-3 no mapa de vocês."
Hannah gostava de comprar doces em uma loja chamada Blue Spot, onde ela sempre ia e nada acontecia...até o surgimento dessa lista. Pois é, isso é o que acontece quando numa lista citam sua bunda como a melhor do primeiro ano.
"[...]Mas no que diz respeito a sua história, Alex, o ato dele- o ato horrível e nojento dele-foi apenas um efeito colateral do seu."
Depois desse incidente na loja, por causa da lista, houve outro. Mas esse foi, digamos que, por ciúmes. Onde entra a terceira pessoa: Jessica Davis.
"[...] eu não estava totalmente sozinha no começo do meu primeiro ano no colégio. Dois outros alunos do primeiro ano, [...] também era novos no pedaço: Alex Standall e Jessica Davis. E, embora nunca tenhamos nos tornado amigos íntimos, nos apoiamos naquelas primeiras semanas."
Ambos tinham uma técnica de extravasar as pressões do novo colégio, as vezes que tentavam se entrosar e tinham o vácuo como resposta; eles iam ao Monet's, sentavam-se em sua mesa de hábito, colocavam a mão no centro e diziam "um, dois, três, pode sair da toca". E então, quem tinha o dia mais exaurido começava a desabafar.
Acontece que nenhuma amizade assim dura muito; e alguém ali caiu fora primeiro, depois o outro diminuiu a frequência do encontro, até que só sobrou Hannah. É por isso que Jessica está na lista de Hannah? Não... Quando Alex fez aquela lista, tinha o lado 'da gostosa', e obviamente o da 'não gostosa', certo? Exato. E quem estava do lado negativo da lista era Jessica. Ouve uma pequena discussão, pode-se até dizer que civilizada, e Hannah só saiu com um arranhão, por fora. E por dentro?
"Aquela cicatriz fininha que vocês viram  em cima da minha sobrancelha é a marca da unha da Jessica"
A quarta pessoa tem um lado pervertido a solta. Tyler Down, é o fotografo do corpo estudantil do colégio, mas um dia, Hannah o percebe em sua janela. O que estaria Tyler fazendo lá? E em intervalos curtos ela escuta clique...clique. Estaria ela sendo fotografada por um voyer?
Como ela descobriu que a pessoa que a fotografa era Tyler? Para isso, ela precisou da ajuda da quinta pessoa de sua lista... Courtney Crimsen.
"Por que você não me deixou em paz, Tyler? Minha casa. Meu quarto. Deveriam ser lugares seguros para mim."
 Courtney era uma menina muitíssimo popular, linda, adorável com todo mundo. Sem duvida a mais legal com todos. Mas sempre tem alguém para descobrir quem somos de verdade, e no caso de Courtney, essa pessoa foi Hannah.
Ela sempre tão atenciosa com as pessoas, disposta a ajudar, ajudou Hannah com seu pequeno incomodo com o tal voyer, acontece que, ela não ajudou por bondade, ajudou por ter um lado tão pervertido quanto Tyler. Algum problema nisso? Não. O problema se instalou quando Courtney ignorou Hannah por completo, como se ela nem existisse.
Passou-se um tempo e Courtney procurou Hannah para convida-la para uma festa; Nessa festa coisas aconteceram, incluindo mais um boato sobre Hannah, este criado e espalhado justamente por ninguém mais, ninguém menos que Courtney Crimsen. E esse é o motivo para ela estar nessas lista. Esse foi o motivo que acentuou a necessidade de descanso de Hannah.
"[...]Por que você me convidou para vir aqui? por favor, não me diga que servi apenas de motorista. Eu pensei que estávamos ficando amigas."

A sexta pessoa: Marcus Cooley. O que ele fez? Deu um bolo em Hannah. Mas isso, apenas isso, é motivo para se matar?
Gente, quando se vai a um local movimentado como o Rosie's, sozinho, isso atrai muita atenção, mesmo que não queira. E foi isso que aconteceu, 15 minutos de espera; e a quando se pensa em desistir.. ele aparece. Não é só isso, ele ainda se excede ao cumulo do absurdo, mais uma vez...
" Nada. É ridículo. Eu não pertenço a essas fitas. Hannah só queria uma desculpa para se matar."
 Zach Dempsey é um garoto tímido e gente boa. Mas fez com que Hannah perdesse, talvez a única chance de se salvar de si mesma.
Uma de suas aulas no colégio era Comunicação entre Jovens, para muitos professores era uma matéria inútil, uma perda de tempo. Mas para Hannah, era um jeito de se sentir conectada com as pessoas; nessa aula os alunos poderiam expressar o que estavam sentindo através de um método que a professora inventou, eles deixavam bilhetes para os colegas sobre o que pensavam destes. Mas onde foram parar os bilhetes de Hannah? Será que os colegas de classe não gostavam dela? Por que ela era a única que nunca recebia bilhetes?
"Talvez isso não parecesse grande coisa para você, Zach. Mas espero que você compreenda agora. Meu mundo estava ruindo. Eu precisava daqueles bilhetes.[...] E você? Você me tirou essa esperança. Você decidiu que eu não a merecia."
Isso fez de Zach a sétima pessoa.

Muitas pessoas tem uma maneira diferente de expressar o que sente, Hannah aprendeu a expressar seus sentimentos através de poesias.
"A mesma pessoa que me ensinou a gostar de poesia também me ensinou o valor de escrevê-la."
Acontece que um intrometido, roubou sua poesia mais profunda e publicou-a no jornal da escola. Ryan Shaver, esse é o motivo para você estar nessas fitas; você não tinha o direito de roubar algo tão intimo.
E assim começa a história de Clay, de uma forma que ele jamais imaginou. Romeu?
Bom, enfim consegui chegar ao personagem narrador, aquele que disse lá em cima, Clay Jensen, ele é a nona pessoa a ser  citada, o que difere Clay dos outros é que ele não fez nada para Hannah. Justamente por isso ele esta na fita. Por não ter feito nada..
"-Por que sou obrigado a ouvir isso?-explodo.-Por que ela simplesmente não pulou meu nome, se não pertenço à lista?"

Clay chamou a atenção de Hannah por sua reputação tão falada pelas pessoas de seu colégio.
"[...]mas minhas orelhas ficavam em pé sempre que eu ouvia o nome dele. Acho que queria ouvir alguma coisa-qualquer coisa-picante. Não porque quisesse espalhar alguma fofoca. Eu simplesmente não consegui acreditar que alguém pudesse ser tão gente fina assim."
Eu gostaria muito de contar para vocês tudo o que tem na fita de Hannah sobre Clay, mas não posso.

No entanto, tem um personagem amigo de Clay, que ficou encarregado de observar cada pessoa que esta na fita. Tony recebeu uma segunda caixa, contendo uma copia de cada fita, e quando uma pessoa esta com a caixa, ele deve observar para ver se ela vai passar a diante, caso contrario, ele deve seguir o pedido de Hannah: por a publico a segunda caixa com as cópias.

Não, Tony não é a décima pessoa. A décima é uma menina.. Uma pessoa que ajudou Hannah no episódio com Marcus, e ajudou-lhe depois da desastrosa festa quando ela expulsou Clay..


Depois de tudo que aconteceu na festa com Clay, Justin e mais duas pessoas, Hannah precisava ir embora, mas ela não sabia para onde ir, não queria, nem podia ir para casa. Ela havia ido escondida para festa, tudo para encontrar Clay. E o que ela fez quando o viu? O afastou..

Jenny Kurtz estava de saída da festa e ofereceu-lhe uma carona.
No caminho para casa, Jenny, que estava meio bêbada, bateu em uma placa de PARE num cruzamento. Um cruzamento sem placa de PARE é muito perigoso.
"Não havia nenhuma placa de "pare" naquela esquina. Não naquela noite. E um deles, um dos motoristas, morreu." 
 E é por isso que o décimo lugar pertence a Jenny; por sua imprudência.

Haveria uma outra festa, na rua da casa que Hannah estaria tomando conta.. ela poderia ir aquela festa. Porém, ela ainda não estava recuperada dos acontecimentos da festa anterior.
Mas, após o cessar do barulho da tal festa, Hannah resolveu dar uma volta pela vizinhança, e ao passar pela entrada da casa que outrora sediou uma mega festa, ela recebe um convite.
Acontece que, quando ela cede a esse convite, ela cede a sua reputação.
E Bryce.. você pertence ao décimo primeiro lugar por ser você.
"Portanto, meus parabéns Bryce. Você é o cara. Eu deixei minha reputação me pegar-deixei minha reputação se transformar em mim-junto com você. [...] eu não me senti atraída por você Bryce. Nunca. Na verdade, você me dava nojo."
Uma ultima vez.. Hannah tentou buscar ajuda.
"Estou dando mais uma chance à vida. E, desta vez, vou buscar ajuda."
Quando um aluno recorre ao professor é necessário saber quais palavras usar. Ao pedir ajuda ao Sr.Porter, Hannah tentou deixar claro o que estava acontecendo, porém procurou esconder sua vontade de.. bom, acabar com a própria vida.
Ao contar sobre os incidentes com os colegas Hannah esperava uma solução, uma luz no final daquele túnel escuro que sua vida estava, mas, infelizmente, sem perceber, o professor orientar jogou-a mais ainda para o escuro.
Então Sr. Porter, mesmo que não imagine seu nome numa fita de uma suicida; ele esta lá. Fazendo com que você seja a décima segunda pessoa dessa fita.
"[...] então você tem duas opções.[...] Uma delas é confrontá-lo.[...] A segunda, sem querer ser insensível, Hannah, é seguir em frente. "
Onde estavam os pais de Hannah enquanto sua filha era difamada pelos colegas de classe? Onde estavam os pais de Hannah quando ela se sentia sozinha e triste? Principalmente, onde eles estavam quando ela começou a pensar em se matar?

"Minha própria mãe
você me carregou dentro de si
agora você nada vê
além do que estou vestindo
as pessoas lhe perguntam
como vou
você sorri e acena com a cabeça
[...]
me conheça
não me enxergue apenas com seus olhos
Tire
essa máscara de carne e osso e
me enxergue
em minha alma
sozinha"

Seus pais sempre foram amorosos e atenciosos com ela. Porém alguém precisava sustentar a casa, e o que fazia isso era a sapataria que ambos eram donos. Depois do surgimento das obras de um shopping, eles ficara 'loucos'. Pois sabiam que se criassem algo daquele tipo, as lojinhas do centro perderiam muito. Com esses problemas subindo por suas cabeças, eles se distanciaram um pouco de Hannah. E não perceberam estar perdendo sua filhinha.

O livro chega ao fim de uma forma neutra e pelo choque do personagem narrador. Afinal, foram diversas historias de pessoas que ele sempre conhecera. Como será que Clay vai reagir ao dia seguinte às fitas, na escola? Como será olhar na cara de cada pessoa que motivou a morte de Hannah? A menina que ele nutria uma queda.

Espero que vocês gostem, e se ainda não leram.. leia. É uma leitura rápida e calorosa. Entenda profundamente cada motivo de Hannah. Cada Porquês.


Classificação: (3/5)**
-Amanda

{Janeiro} Leitura Diária

Heeey leitores! Tudo bom com vocês? 

Que saudade! Esse é me primeiro post do ano, pois infelizmente, continuo se internet em casa :( 


Mas hoje tem o primeiro post de Leitura Diária e espero que vocês curtam! Separei esse texto incrível que mexeu muito comigo no facebook, e agora, quero compartilhar com vocês, afinal todos nós passamos por isso. Confira: 

"É cara, você namorava uma mina incrível. Incrível mesmo, linda demais, companheira, amiga, mandona, e tudo o que você precisasse. Ela sabia ser tudo por você. Ela fazia tudo por você. E você sempre foi um idiota, como todos os outros idiotas do mundo que quebram o coração de uma garota. Mas pra ela, você não era um idiota qualquer, você era o idiota dela. Ela cuidava de você e te mimava. Ela não sabe escrever um texto muito bem, mas ela sempre demonstrou através de gestos e atitudes o quanto você era importante pra ela. Ela não sabe cozinhar, nem dobrar roupa, mas vocês sempre ficavam juntos na bagunça e planejando um futuro no qual vocês se casariam e teriam filhos, né? Porra, vocês faziam planos juntos. E você meu caro, estragou tudo. Não deu valor. Jogou fora aquele amor bonito por nada. Brincou com a mina mais encantadora do mundo. Deixou ela ir embora, quer dizer, deu motivos pra ela ir e desistir de você. Na verdade, ela nunca desistiu, ela nunca desistiria, mas você foi lá e acabou com tudo. Fez ela chorar na frente da família, fez ela ficar mal como ela nunca tinha ficado. Pisou na bola, perdeu. E sabe, você não tem nem o direito de reclamar. Perdeu ela. Agora ela está seguindo sem o idiota dela, porque esse idiota quis ser idiota demais. Você não vai ser mais o motivo do sorriso dela e nem vai vê-la sorrir. Puta merda. Não sabe se ela vai sentir sua falta, não sabe se ela vai se lembrar do seu jeito “crianção-bobalhão”, mas aposto que não da pra você esquecer nenhum segundo o sorriso que ela dava. Cada mania, cada manha, cada coisinha que você passou com ela, nada disso vai sair de você. Ela sempre vai ser parte da sua vida. Mas infelizmente, você a perdeu."   —Tumblr/ Little.

Bom gente, espero que tenham gostado e até a próxima! Beijos da Jú ❤️

Trilogia Legend

Olá leitores, hoje nossa resenha será um pouco diferente do que o de costume; estarei falando sobre todos os livros da Trilogia Legend, da querida Marie Lu. Essa triologia é digna de cinema!!


Na capa de cada um dos três livros vêm escrito:

"UM MUNDO DISTÓPICO QUE VAI CONQUISTAR OS FÃS DE JOGOS VORAZES E DIVERGENTE"

Confesso que quando li não tive uma reação muito boa (ela apostou muito alto ao fazer isso rs). Até porque, nenhuma trilogia deve ser comparada a outra, podem ter o mesmo gênero, mas não tratam o assunto da mesma forma. Mas tenho que confessar, a autora ARREBENTOU! Ela não só provou o que vem escrito na capa, como mostrou que existe outra trilogia párea para Jogos Vorazes e Divergente. 

No primeiro livro- Legend- , Marie Lu nos apresenta a um mundo diferente, em sua continuação-Prodigy- temos uma continuação que dilacera nosso coração a cada página, nos faz querer termina-lo o mais rápido possível e ler o terceiro e último livro-Champion-, onde nossos queridos e adorados personagens(vocês irão se apaixonar por Day, June, Tess, Éden e Anden) enfrentarão coisas terríveis, a paz que outrora reinara aquele lugar, estará, novamente, sendo comprometida.


LEGEND- Sobre o primeiro volume não direi muita coisa, nossa querida Juliana já postou uma resenha há algum tempo sobre ele. Então deixarei alguns trechos dele aqui. E se vocês quiserem dar uma olhadinha na resenha, é só clicar no link abaixo.




Em Legend é possível perceber vários sentimentos, entre eles, o amor

"Então ouço uma voz me mandando levantar. Quando olho para o lado vejo um adolescente estendendo as mãos para mim. Ele tem olhos azuis brilhantes, poeira no rosto , e um boné surrado na cabeça. Neste momento acho que é o garoto mais gato que já vi na vida."

" Eu quase beijei a Menina ontem à noite. Mas nada de bom pode resultar se você se apaixonar por alguém nas ruas. Essa é a pior fraqueza que se pode ter.."

" Ficamos em silêncio um momento. então, antes que eu possa protestar, uma das mãos enluvadas de Thomas roça meu queixo enquanto ele se debruça para me beijar nos lábios."

O sentimento de culpa por trair aquilo e aqueles que tanto se ama. June prometeu sua lealdade a República e a seu Eleitor, mas terá de sacrificar sua lealdade por algo que ela passa a acreditar. Ela passa a enxergar sua adorada República com novos olhos..

 " O turbilhão de meus pensamentos se transforma em um pânico crescente[...] Tenho de mudar meus planos. Do contrário, o garoto que não matou meu irmão morrerá hoje à noite."


Enquanto Day se sacrifica por sua família e por todos aqueles que ele ama, teria alguém para se sacrificar por ele? E se tivesse, ele gostaria que isso ocorresse?

"Prefiro morrer a ver esse pessoal machucar você."

Será verdade isso?
Promessas por amor,  e outras por ódio:

"Vou ficar com você para sempre, pequena, até você não aguentar mais olhar para minha cara."

"Vou perseguir você até o inferno. Vou vasculhar as ruas de Los Angeles à sua procura. Se preciso, vou procurar em todas as ruas da Republica. [...] Estou fazendo um juramento: sua vida é minha."


Enfim, Legend  é recheado de coisas intrigantes, de reviravoltas excelentes, acima de tudo, sentimentos. Sentimentos que surgem a cada página e te leva junto com ele.

Por outro lado, temos Progidy, uma continuação perfeita!

"Tudo que me era familiar não existe mais"

No segundo volume da trilogia as coisas já ficam mais acirradas. Quando Day e June conseguem escapar dos soldados da Repúblicas e chegam a Las Vegas, uma coisa inesperada acontece: a morte do Primeiro Eleitor. E quem assume o comando é o jovem e desprezado Anden, seu filho.

A nação está a beira de um colapso quando Day e June juntam-se aos Patriotas. A proposta que eles tem em mente é assustadora para June, uma garota que veio dos berços ricos da Nação, como agora poderia aceitar tal coisa? Porém, ela sabe que essa é a única forma de juntar Éden a Day novamente. Sabe que sem concordar com a proposta de Razor, jamais cuidariam dos ferimentos de Day. E ela sabe que a decisão está em suas mãos. Mas... Poderia ela ajudar a matarem Anden? O mais novo Primeiro Eleitor?

Com os acontecimento que procedem das escolhas de Day e June, Progidy mostra como o amor pode fazer tão bem, e ao mesmo tempo tão mal. No decorrer do livro, Day descobre que seu amor por June é capaz de tudo.. mas aquela mágoa ainda está lá, para lembra-lo que June é culpada pela suas perdas. Mas responsável também de por juízo em sua cabeça e trazer seu querido e adorado irmãozinho de volta para ele.


"-Éden!- grito, com voz rouca.

 Seus olhos continuam desfocados, mas um sorriso incrível ilumina seu rosto.[...] Corro até ele, pego-o em meus braços e o abraço com força[...]" 

 Day é um ícone de tamanha importância para o povo da República, sua reputação é maior do que a do Eleitor, o povo o ama e idolatra. Mas Anden, merece a confiança do povo, ele não é como seu pai. Ele mostrou a Day que merece seu apoio. Merece que o povo deixe-o agir a seu favor. Mas para isso, Day precisará ajuda-lo e ele não sabe se está pronto para esquecer  todos os problemas que ele e sua família tiverampor causa da República. 

Mesmo que Anden diga e prove, que ele está disposta a mudar tudo que seu pai e Eleitores anteriores fizeram com as pessoas. Day precisará apostar alto em sua escolha. E o que será que ele vai escolher ? Ajudar Anden a ter o apoio do povo e lutar contra as Colônias e acabar com as provas e os experimentos que submetem aqueles que são reprovados. Ou permitir uma revolução contra Anden?

June recebe uma proposta de Anden para se tornar a Primeira Cidadã; que significava que ela teria de ser como a sombra de Anden, estando em reuniões tediosas, por vários e vários anos. E antes de ser oficialmente a Primeira Cidadã teria que passar por anos de treinamento. 

Isso significa que ela deixaria Day por tempo demais, isso a deixou desnorteada, pois ela não sabia a quem seguir : seu amor por Day ou sua devoção a Republica. Sem saber qual escolher ela recebe, sem pedir, uma ajuda de Day.
Day que por sua vez, está com um problema dilacerador em mãos, não sabe o que mais está lhe causando sofrimento : perder June, deixar Éden ou seu estado.


"Anden pode ser o homem mais poderoso da República, mas Day, o garoto das ruas que não tem nada além da roupa do corpo e da seriedade no olhar, é o dono do meu coração.
Ele é tudo que é belo.
Ele é o raio de esperança em um mundo de escuridão.

Ele é a minha luz." 


Como toda trama precisa do seu gran finale, a Trilogia Legend chega a seu último livro com grandioso estilo. No ultimo livro da trilogia Marie Lu continua a trama, seguindo sem nenhum desencontro com os dois primeiros. As histórias vão se completando e entrelaçando de uma maneira magnifica.

Em Champion, Day tem um enorme desafio em suas mãos e é alertado para resolver todos os seus assuntos pendentes de uma vez. Talvez não lhe reste tempo depois.
  
A República é atacada novamente pelas Colônias, parece que as antigas armas biológicas do pai de Anden resolveram fazer efeito no momento errado. A praga criada pela Republica, agora mortífera-e talvez até sem cura- deixa o Chanceler  das Colônias uma fera. Com isso Anden tem um prazo para entregar a cura, mas o empecilho é que a cura talvez esteja nas veias de Éden. Como convencer Day a deixar Éden nas mãos dos cientistas, mais uma vez?
Para isso, Anden pede a ajuda de June, que por sua vez está há 8 meses longe dele. Mesmo que sinta falta dele, ela sente que ele esconde algo e tem medo de que se for atrás dele, se magoe. Mas como a República precisa da ajuda dela, ela se submete a contatá-lo.

  Day está na "rua da amargura" longe de June. Ele sente sua falta mas não quer ter de enche-la com seus problemas. Até agora, também, ela não foi atrás dele. Então ele se deu ao luxo de não ir atrás dela. Mesmo que isso dilacere seu coração, é melhor para ela não estar ao lado dele nesse momento deplorável de sua vida.
Com mais umas de suas dores de cabeça, ele esta perambulando por uma boate quando mais uma vez é contado por agentes da Republica, mas dessa vez, a voz que ouve o tira do chão.


"-Day?

Ouço outra voz no meu fone de ouvido e fico paralisado.[...] Embora eu não a tenha ouvido há quase um ano, eu a reconheceria em qualquer lugar[...] Por favor, não deixe que seja ela. Por favor, deixe que seja ela[...]"

***
Com a República sendo ataca pelas Colônias novamente, Anden e June, juntamente dos outros dois candidatos ao cargo de Primeiro Cidadão, vão a Antártida, em busca de ajuda militar para combaterem as Colônias, pois as Colônias estavam com reforços da África, e a República não tinha condição de revidar a essas potências.
  Porém, a divida da República com a Antártida está altíssima, e a proposta para ajuda-los é fora de cogitação.
A única forma de saírem dessa é entregando a cura; mas para isso, Éden teria que ser submetido a experimentos, sem o resultado se sairia vivi ou não.

E agora? Como Anden fará para salvar sua nação se Day não quer entregar o irmão?

Como tudo tem solução, coisas irão acontecer sem que Anden precise partir para violência, ou que Day saia magoado dessa.

Durante sua estadia na Antártida, June buscou sobre o "nascimento" da República e das Colônias. E descobriu que o principal motivo de suas guerras nada mais é que : Terras.

***

Como toda ótima trilogia, Legend chega ao fim de uma forma inimaginável para quem tanto sofreu com a noticia do segundo livro. Marie Lu investiu em uma nova forma de mostrar aos leitores que amor supera tudo, que a traição, por mais que doa, pode ser perdoada, que a magoa não leva a nada. E principalmente, que devemos analisar bem a quem somos leais.

Eu torci por Day e senti na pele tudo o que ele sofreu, chorei com ele, e percorri os becos do setor Lake com ele. Me apaixonei com June, senti suas dores, e seu amor. Senti a dor do abandono que Tess sentiu, e o amor de ser acolhida por uma pessoa que se importe de verdade. (Mesmo que eu não tenha falado sobre a Tess, eu digo a vocês que ela é encantadora, uma mini médica míope de um coração tão grande, que passou por coisas que ninguém aguentaria. 
Se apaixonou e não foi correspondida, mas superou. Então, posso não ter dito nada sobre ela, mas vale a pena, e muito, apaixonar-se por ela.) Cada personagem desse livro tem uma história cativante, até Thomas, o militar tão leal a seus votos de obedecer que não media o certo e o errado ao fazer o que lhe mandavam.


Bom gente, eu espero que vocês gostem. Eu super recomendo e estou torcendo para ir logo para as telinhas de cinema ! Eu sei que nem tudo que estão nos livros vão para as telinhas, que é bem frustrante,  mas eu torço para ver tudo o que li e imaginei.

Classificação: **** (5/5)

E aí você já leu!? O que achou? Deixe seu comentário! E se ainda não leu, leia, não irá se arrepender!

Beijos e até a próxima!
-Amanda


Suposta Data De Estreia Para a Adaptação de "Fallen"

Oláaaa Leitoreees! Tudo bom com vocês? Então quem aí se lembra da adaptação que já tem um bom tempo pra sair e nunca sai?

Para quem não sabe essa adaptação já teve muitos sucessivos adiamentos e muitos mistérios, parece que o longa inspirado na história de Lauren Kate finalmente tem data para sair! Para a alegria dos fãs de carteirinha rs, (Eu! rs) *-*

Segundo o site IMDb, a aguardada adaptação de “Fallen” deve estrear em setembro nos Estados Unidos, Reino Unido e Canadá.



Link para IMDb: http://www.imdb.com/title/tt1564777/

Elenco: Addison Timlin (Lucinda), Jeremy Irvine (Daniel), Daisy Head (Arriane), e Harrison Gilbertson (Cam) são os atores contratados para estrelar na adaptação. Os direitos foram comprados pela Disney.

A direção será de Scott Hicks, já nomeado ao Oscar, com produção de Mark Ciardi e Gordon Gray.



E aí gostaram?, comentem e compartilhe!

Beijos e até a próxima!
-Lili

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo