{Fevereiro} Leitura Diária

Oi oi gente! Tudo bom? Como foram as férias? Passou muuuito rápido, né  </3 
Eu no entanto, já terminei, e agora, estou pensando em começar uma faculdade. Mas vou deixar para falar mais sobre isso em um post específico. :D 

Hoje é dia de Leitura Diária, e como sempre, compartilho com vocês o texto que selecionei durante a semana. 

Espero de coração que vocês gostem, e se algum de vocês tiverem um texto que queira compartilhar, é só deixar um recadinho nos comentários e entraremos em contato! :) 


"Eu não errei com você, acho que errei por você. Acho que estou um pouco magoada, mas vou ficar bem! Perdi a conta de quantas vezes eu fiquei esperando você me responder. De quantas vezes eu tentei me culpar por está sendo grudenta demais e me entregando demais. Engoli minhas incertezas para não parecer chata. Eu ingnorei todos que diziam que isso daria errado, eu confiei em pessoas que nunca deveria ter confiado. E no final, acho que ganhei uma puta mágoa. Seu coração não tem espaço para mim, nunca teve. Mesmo assim eu continuei, eu fiquei, eu permaneci. Eu tentei sim e tentaria outra vez sem pensar duas vezes, porque não queria ter a angústia de nunca ter tentado. Não fui eu que sair perdendo, eu tenho minha vida, as minhas amigas loucas e meus livros. Eu não preciso de um falso amor. Eu nunca precisei de um falso amor. Esse tipo de decepção não mata; Ensina. Faz crescer. Amadurecer. Eu não me arrependo e para mim tudo foi de verdade. Posso está enganada mas acho que você não vale nem esse texto. Obrigada por ter me feito feliz por algum tempo."
— Lara Fabian. 
Publicado no Facebook pela página "Sei lá, vi no Tumblr" 

 Foi isso gente, até a próxima, beijos da Jú ❤️

Resenha: Os 13 Porquês

Olá leitores.. Alguém aí já se apaixonou por um suicida? Pergunta estranha, né? Mas é isso mesmo que leram. Como perceber que uma pessoa normal, aquela na qual seu coração dispara, está com uns pensamentos bem estranhos?
Mas foi isso que aconteceu com Clay Jensen.

Para saber mais.. Aperte o Play. ►
Clay Jensen é um jovem do ensino médio de poucos amigos, prefere o conforto da sua casa, às festas de arrombas que seus colegas de classe sempre dão. Entretanto, em uma noite, uma festa, ele vai. Mas vai com um juramento..
"se Hannah Baker aparecesse, eu ia conversar com ela. Estava na hora. [...] Aí, ela entrou, e eu pirei..."

Hannah Baker, além da queda de muitos meninos- incluindo Clay Jensen-, quem era ela? Uma menina que mal chegou na cidade e já conquistara tamanha reputação..infelizmente uma péssima reputação.

Mudada de uma cidade cheia de amigos, para uma cheia de desconhecidos, onde sua única conhecida- e vizinha-, Kat, estava de partida. Como viver assim, gente?
A primeira coisa que vem a mente: Fazer novos amigos. Estou certa?
Bom, foi nisso que Hannah pensou. Porém.. não foi assim que sua história se desencadeou.

13 pessoas. 13 histórias. 13 porquês

Em sua fita de "despedida", Hannah cita 13 motivos para seu suicídio, 13 pessoas com histórias intrigantes , outras picantes, e aquelas inúteis; inúteis para aqueles que praticaram o ato. Mas.. e para Hannah? Eram inúteis? Ou a magoavam?


Para sabermos ao certo, vou contar um pouco sobre essas 13 pessoas..

O primeiro a se deparar com uma caixa de papelão cheia de fitas, numeradas de 1 ao 7, e de cor azul, de cada lado se viam as letras A e B, foi Justin Foley. Por que Justin seria o primeiro? O que sua história tem de tão especial assim, para ele ser o primeiro? Simples, ele foi o começo da situação, ou como Hannah chamava, bola de neve.

 Antes de se mudar, Kat apresentou a Hannah dois rapazes: Zach e Justin. Com o passar do tempo, Hannah acabou se apaixonando por Justin, que se portou como um rapaz muito bonzinho. Quando finalmente ele demonstrou que sentia algo por ela, ele a chamou para um encontro.
Como seria um primeiro beijo?  Toda menina sonha com isso, não é? E não foi diferente para Hannah. Ela sonhou e quando realizou não podia ter sido de maneira  melhor. Correu tudo perfeitamente como ela sonhara. Naquele parque, perto daquele escorrega.. tudo perfeito.
Acontece que Justin não é um cara legal; ele não foi um bom rapazinho e saiu espalhando boatos  pela escola (af..odeio boatos). Daí surgiu uma pequena faminha para Hannah.

A próxima pessoa a receber a caixa, seria Alex Standall.
Em uma aula normal, uma lista é passada de mesa em mesa, cochichos são dados, risadinhas abafadas; mas nada na mesa de Hannah. Por que ela não poderia participar? Ah, mas ela estava.. não da forma que talvez quisesse. Não resistindo a curiosidade, ela se virou para carteira de um dos colegas e avistou, mesmo que de cabeça para baixo: CLASSE DO PRIMEIRO ANO: QUEM É GOSTOSA/QUEM NÃO É.
E adivinhem só, o nome de Hannah estava fazendo sucesso no lado das "gostosas"; demais, né? Bom, não foi o que ela achou, ainda mais tento aqueles boatos que Justin lançou no ar, e principalmente pelas repercussões que esses dois atos teriam.

"Precisam de um exemplo? Ótimo. B-3 no mapa de vocês."
Hannah gostava de comprar doces em uma loja chamada Blue Spot, onde ela sempre ia e nada acontecia...até o surgimento dessa lista. Pois é, isso é o que acontece quando numa lista citam sua bunda como a melhor do primeiro ano.
"[...]Mas no que diz respeito a sua história, Alex, o ato dele- o ato horrível e nojento dele-foi apenas um efeito colateral do seu."
Depois desse incidente na loja, por causa da lista, houve outro. Mas esse foi, digamos que, por ciúmes. Onde entra a terceira pessoa: Jessica Davis.
"[...] eu não estava totalmente sozinha no começo do meu primeiro ano no colégio. Dois outros alunos do primeiro ano, [...] também era novos no pedaço: Alex Standall e Jessica Davis. E, embora nunca tenhamos nos tornado amigos íntimos, nos apoiamos naquelas primeiras semanas."
Ambos tinham uma técnica de extravasar as pressões do novo colégio, as vezes que tentavam se entrosar e tinham o vácuo como resposta; eles iam ao Monet's, sentavam-se em sua mesa de hábito, colocavam a mão no centro e diziam "um, dois, três, pode sair da toca". E então, quem tinha o dia mais exaurido começava a desabafar.
Acontece que nenhuma amizade assim dura muito; e alguém ali caiu fora primeiro, depois o outro diminuiu a frequência do encontro, até que só sobrou Hannah. É por isso que Jessica está na lista de Hannah? Não... Quando Alex fez aquela lista, tinha o lado 'da gostosa', e obviamente o da 'não gostosa', certo? Exato. E quem estava do lado negativo da lista era Jessica. Ouve uma pequena discussão, pode-se até dizer que civilizada, e Hannah só saiu com um arranhão, por fora. E por dentro?
"Aquela cicatriz fininha que vocês viram  em cima da minha sobrancelha é a marca da unha da Jessica"
A quarta pessoa tem um lado pervertido a solta. Tyler Down, é o fotografo do corpo estudantil do colégio, mas um dia, Hannah o percebe em sua janela. O que estaria Tyler fazendo lá? E em intervalos curtos ela escuta clique...clique. Estaria ela sendo fotografada por um voyer?
Como ela descobriu que a pessoa que a fotografa era Tyler? Para isso, ela precisou da ajuda da quinta pessoa de sua lista... Courtney Crimsen.
"Por que você não me deixou em paz, Tyler? Minha casa. Meu quarto. Deveriam ser lugares seguros para mim."
 Courtney era uma menina muitíssimo popular, linda, adorável com todo mundo. Sem duvida a mais legal com todos. Mas sempre tem alguém para descobrir quem somos de verdade, e no caso de Courtney, essa pessoa foi Hannah.
Ela sempre tão atenciosa com as pessoas, disposta a ajudar, ajudou Hannah com seu pequeno incomodo com o tal voyer, acontece que, ela não ajudou por bondade, ajudou por ter um lado tão pervertido quanto Tyler. Algum problema nisso? Não. O problema se instalou quando Courtney ignorou Hannah por completo, como se ela nem existisse.
Passou-se um tempo e Courtney procurou Hannah para convida-la para uma festa; Nessa festa coisas aconteceram, incluindo mais um boato sobre Hannah, este criado e espalhado justamente por ninguém mais, ninguém menos que Courtney Crimsen. E esse é o motivo para ela estar nessas lista. Esse foi o motivo que acentuou a necessidade de descanso de Hannah.
"[...]Por que você me convidou para vir aqui? por favor, não me diga que servi apenas de motorista. Eu pensei que estávamos ficando amigas."

A sexta pessoa: Marcus Cooley. O que ele fez? Deu um bolo em Hannah. Mas isso, apenas isso, é motivo para se matar?
Gente, quando se vai a um local movimentado como o Rosie's, sozinho, isso atrai muita atenção, mesmo que não queira. E foi isso que aconteceu, 15 minutos de espera; e a quando se pensa em desistir.. ele aparece. Não é só isso, ele ainda se excede ao cumulo do absurdo, mais uma vez...
" Nada. É ridículo. Eu não pertenço a essas fitas. Hannah só queria uma desculpa para se matar."
 Zach Dempsey é um garoto tímido e gente boa. Mas fez com que Hannah perdesse, talvez a única chance de se salvar de si mesma.
Uma de suas aulas no colégio era Comunicação entre Jovens, para muitos professores era uma matéria inútil, uma perda de tempo. Mas para Hannah, era um jeito de se sentir conectada com as pessoas; nessa aula os alunos poderiam expressar o que estavam sentindo através de um método que a professora inventou, eles deixavam bilhetes para os colegas sobre o que pensavam destes. Mas onde foram parar os bilhetes de Hannah? Será que os colegas de classe não gostavam dela? Por que ela era a única que nunca recebia bilhetes?
"Talvez isso não parecesse grande coisa para você, Zach. Mas espero que você compreenda agora. Meu mundo estava ruindo. Eu precisava daqueles bilhetes.[...] E você? Você me tirou essa esperança. Você decidiu que eu não a merecia."
Isso fez de Zach a sétima pessoa.

Muitas pessoas tem uma maneira diferente de expressar o que sente, Hannah aprendeu a expressar seus sentimentos através de poesias.
"A mesma pessoa que me ensinou a gostar de poesia também me ensinou o valor de escrevê-la."
Acontece que um intrometido, roubou sua poesia mais profunda e publicou-a no jornal da escola. Ryan Shaver, esse é o motivo para você estar nessas fitas; você não tinha o direito de roubar algo tão intimo.
E assim começa a história de Clay, de uma forma que ele jamais imaginou. Romeu?
Bom, enfim consegui chegar ao personagem narrador, aquele que disse lá em cima, Clay Jensen, ele é a nona pessoa a ser  citada, o que difere Clay dos outros é que ele não fez nada para Hannah. Justamente por isso ele esta na fita. Por não ter feito nada..
"-Por que sou obrigado a ouvir isso?-explodo.-Por que ela simplesmente não pulou meu nome, se não pertenço à lista?"

Clay chamou a atenção de Hannah por sua reputação tão falada pelas pessoas de seu colégio.
"[...]mas minhas orelhas ficavam em pé sempre que eu ouvia o nome dele. Acho que queria ouvir alguma coisa-qualquer coisa-picante. Não porque quisesse espalhar alguma fofoca. Eu simplesmente não consegui acreditar que alguém pudesse ser tão gente fina assim."
Eu gostaria muito de contar para vocês tudo o que tem na fita de Hannah sobre Clay, mas não posso.

No entanto, tem um personagem amigo de Clay, que ficou encarregado de observar cada pessoa que esta na fita. Tony recebeu uma segunda caixa, contendo uma copia de cada fita, e quando uma pessoa esta com a caixa, ele deve observar para ver se ela vai passar a diante, caso contrario, ele deve seguir o pedido de Hannah: por a publico a segunda caixa com as cópias.

Não, Tony não é a décima pessoa. A décima é uma menina.. Uma pessoa que ajudou Hannah no episódio com Marcus, e ajudou-lhe depois da desastrosa festa quando ela expulsou Clay..


Depois de tudo que aconteceu na festa com Clay, Justin e mais duas pessoas, Hannah precisava ir embora, mas ela não sabia para onde ir, não queria, nem podia ir para casa. Ela havia ido escondida para festa, tudo para encontrar Clay. E o que ela fez quando o viu? O afastou..

Jenny Kurtz estava de saída da festa e ofereceu-lhe uma carona.
No caminho para casa, Jenny, que estava meio bêbada, bateu em uma placa de PARE num cruzamento. Um cruzamento sem placa de PARE é muito perigoso.
"Não havia nenhuma placa de "pare" naquela esquina. Não naquela noite. E um deles, um dos motoristas, morreu." 
 E é por isso que o décimo lugar pertence a Jenny; por sua imprudência.

Haveria uma outra festa, na rua da casa que Hannah estaria tomando conta.. ela poderia ir aquela festa. Porém, ela ainda não estava recuperada dos acontecimentos da festa anterior.
Mas, após o cessar do barulho da tal festa, Hannah resolveu dar uma volta pela vizinhança, e ao passar pela entrada da casa que outrora sediou uma mega festa, ela recebe um convite.
Acontece que, quando ela cede a esse convite, ela cede a sua reputação.
E Bryce.. você pertence ao décimo primeiro lugar por ser você.
"Portanto, meus parabéns Bryce. Você é o cara. Eu deixei minha reputação me pegar-deixei minha reputação se transformar em mim-junto com você. [...] eu não me senti atraída por você Bryce. Nunca. Na verdade, você me dava nojo."
Uma ultima vez.. Hannah tentou buscar ajuda.
"Estou dando mais uma chance à vida. E, desta vez, vou buscar ajuda."
Quando um aluno recorre ao professor é necessário saber quais palavras usar. Ao pedir ajuda ao Sr.Porter, Hannah tentou deixar claro o que estava acontecendo, porém procurou esconder sua vontade de.. bom, acabar com a própria vida.
Ao contar sobre os incidentes com os colegas Hannah esperava uma solução, uma luz no final daquele túnel escuro que sua vida estava, mas, infelizmente, sem perceber, o professor orientar jogou-a mais ainda para o escuro.
Então Sr. Porter, mesmo que não imagine seu nome numa fita de uma suicida; ele esta lá. Fazendo com que você seja a décima segunda pessoa dessa fita.
"[...] então você tem duas opções.[...] Uma delas é confrontá-lo.[...] A segunda, sem querer ser insensível, Hannah, é seguir em frente. "
Onde estavam os pais de Hannah enquanto sua filha era difamada pelos colegas de classe? Onde estavam os pais de Hannah quando ela se sentia sozinha e triste? Principalmente, onde eles estavam quando ela começou a pensar em se matar?

"Minha própria mãe
você me carregou dentro de si
agora você nada vê
além do que estou vestindo
as pessoas lhe perguntam
como vou
você sorri e acena com a cabeça
[...]
me conheça
não me enxergue apenas com seus olhos
Tire
essa máscara de carne e osso e
me enxergue
em minha alma
sozinha"

Seus pais sempre foram amorosos e atenciosos com ela. Porém alguém precisava sustentar a casa, e o que fazia isso era a sapataria que ambos eram donos. Depois do surgimento das obras de um shopping, eles ficara 'loucos'. Pois sabiam que se criassem algo daquele tipo, as lojinhas do centro perderiam muito. Com esses problemas subindo por suas cabeças, eles se distanciaram um pouco de Hannah. E não perceberam estar perdendo sua filhinha.

O livro chega ao fim de uma forma neutra e pelo choque do personagem narrador. Afinal, foram diversas historias de pessoas que ele sempre conhecera. Como será que Clay vai reagir ao dia seguinte às fitas, na escola? Como será olhar na cara de cada pessoa que motivou a morte de Hannah? A menina que ele nutria uma queda.

Espero que vocês gostem, e se ainda não leram.. leia. É uma leitura rápida e calorosa. Entenda profundamente cada motivo de Hannah. Cada Porquês.


Classificação: (3/5)**
-Amanda
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnologia do Blogger.